maio 19, 2018

Alimentação | 5 dicas para praticar uma alimentação saudável low cost

 
 
 
Uma alimentação saudável é sinal de investimento. Financeiro e, sobretudo, a nível da saúde. A verdade é que se pode olhar para a questão das duas formas. O importante é definir o mais importante para cada um. O dinheiro. Ou a saúde. Por aqui, a saúde é sempre a primeira opção. E praticar uma alimentação saudável é, sempre, um investimento na saúde. No entanto, e visto que ainda não nascem notas de 500€ no jardim. Há sempre pequenos truques que podemos utilizar na hora de tornar o investimento que se faz em alimentação o menor e mais inteligente possível. Aqui ficam algumas das que se praticam cá por casa.
 
1. Comprar fruta, legumes e leguminosas a granel. Cá por casa somos grandes consumidores destes alimentos. Facilmente se investe mais em fruta, legumes e leguminosas do que em carne. Aliás, muitas vezes comento, em tom de brincadeira, que facilmente transitávamos para uma alimentação vegetariana. E quando chega a hora de comprar estes alimentos. Há muito que comprar a granel se tornou a melhor opção. Porque podemos escolher os alimentos um a um. Porque o preço por quilo compensa largamente. E porque podemos comprar apenas a quantidade exata que estamos a precisar.
 
2. Fazer da sopa uma refeição principal. Cá por casa desde criança que o jantar é sempre sopa. Seguido de alguma outra refeição ligeira. Todos os dias. Impreterivelmente. A verdade é que a sopa é uma refeição bastante nutritiva e low cost. E se o objetivo é praticar uma alimentação saudável sem investir muito, a sopa pode (e deve!) ser a personagem principal de uma das suas refeições. Visto que não vamos gastar muita energia até à hora de ir dormir. Muitas vezes opto por fazer do meu jantar uma bela sopa e uma peça de fruta. E não, não passo fome. De todo.
 
3. Ter sempre legumes congelados ou enlatados no despenseiro. Muitas vezes não temos muito tempo disponível para estar constantemente a ir ao supermercado repor o que está a faltar. E nem sempre se encontram disponíveis frescos os legumes que procuramos. Pelo que, há muito tempo que, cá por casa, estão sempre alguns legumes congelados ou enlatados que facilmente se podem usar numa qualquer refeição. Sempre que possível, opto pela versão fresca mas muitas vezes não é opção. Nomeadamente, em determinados dias em que do nada quero testar uma receita mas estou sem paciência ou tempo para ir ao supermercado. E, sejamos sinceras, mais vale comer legumes congelados de vez em quando do que não comer.
 
4. Usar listas de compras. É impossível sair de casa para ir ao supermercado sem a lista de compras. Até porque rapidamente me esqueço do que está a faltar. Além do que permite ter um melhor controlo sobre o orçamento e evitar compras e gastos desnecessários. É um truque que sigo religiosamente a cada ida ao supermercado e já me permitiu poupar imenso dinheiro. É rápido, simples e evita que esteja sempre a ficar alguma coisa por comprar.
 
5. Reaproveitar sobras de refeições. Felizmente, cá por casa nada se desperdiça. E sempre que alguma peça de fruta se estraga sem se dar conta é uma verdadeira dor no coração. Todas as sobras de refeições são aproveitadas e, muitas vezes, criam-se autênticos petiscos partindo apenas de um ou dois ingredientes. Claro está, que ter gosto por cozinhar e experimentar novas receitas ajuda bastante. Mas, a verdade é que é impensável deitar comida ao lixo sabendo que há tanta gente a passar fome. Além de que é, literalmente, o mesmo que deitar dinheiro ao lixo..

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela vossa visita/comentário!