janeiro 29, 2018

Consumo | O barato nem sempre sai caro

 
 
 
A construção de um guarda-roupa é um investimento grande. A curto e a longo prazo. E se muitas são as mulheres que optam por realmente fazer do seu guarda-roupa um investimento. Outras optam por pensar a curto prazo. E ao invés de investir em poucas (mas boas) peças. Não resistem aos apelos ao consumo. E investem constantemente em peças mais baratas. O que também não é errado, atenção. Cada um é como cada qual. E cada um sabe onde e como deve gastar o seu orçamento. O meu ponto de vista já é conhecido. Mas se você dá por si a preferir investir em marcas mais acessíveis mas gostaria de ter sempre uma imagem impecável. Saiba que não é impossível. Basta seguir as próximas dicas e verá como o barato nem sempre sai caro.
 
1. Conhecer as tendências dos grandes criadores e procurá-las em marcas mais acessíveis. O importante aqui é encontrar os cortes que mais a favorecem e agradam e procurar a correspondência equivalente em lojas com preços mais acessíveis (Zara, Mango, H&M, Primark...). O mesmo se aplica à forma como usa as peças. Procure inspiração nos seus ícones de estilo e estude a forma como usam determinada peça e reproduza. Rapidamente uma peça de uma marca mais acessível cria a ilusão de ter sido bem mais cara. Pode parecer estranho mas muitas vezes é o suficiente para valorizar determinada peça e, consequentemente, o coordenado final.
 
2. Optar por cores, padrões e cortes clássicos cuja manutenção seja mais fácil. Optar por cores neutras e padrões e cortes clássicos é sempre o caminho mais fácil, uma vez que permitem inúmeras combinações e, em marcas mais acessíveis, são muitas vezes as que melhor qualidade têm e cuja manutenção é mais simples. Tendo sempre em consideração a importância de procurar por defeitos nas peças. Se a peça não tiver os botões todos; a bainha descosida; os ombros mal alinhados (peças com padrão ou de corte clássico), etc. não a traga consigo. Nesse caso, o barato vai sair caro.
 
3. Prestar atenção ao material da peça. O importante aqui é certificar-se de que o material da peça é bom, ainda que se trate de uma peça/loja/marca mais acessível. Lembre-se que materiais mais translúcidos tendem a parecer mais baratos e de menor qualidade. Sempre que duvidar da qualidade de determinado material coloque a peça contra a luz com a sua mão no interior da peça. Se a sua mão for visível através da peça não a traga consigo. O material não é o melhor e o barato vai, também aqui, sair caro. 

1 comentário:

Obrigada pela vossa visita/comentário!