janeiro 31, 2018

Consumo | 5 Dicas para fazer (boas) compras online

 
 
 
Comprar online é o novo método de consumo. É fácil e rápido.  Só não traz milhões. Pode, inclusive, levar-lhe milhões. Isto se não tiver atenção e cuidado na hora de compra. Se comprar online se tornou um hábito para si. Saiba que há alguns cuidados a ter.
 
Conhecer as suas medidas. É o primeiro passo e um dos mais importantes. Antes de se iniciar no mundo das compras online é fundamental que conheça de cor e salteado as suas medidas de peito; cintura; anca; braço; ombros e perna a fim de evitar problemas relacionados com tamanhos. Além de conhecer os seus tamanhos, se tem por hábito fazer compras em sites internacionais, deve ter sempre consigo uma tabela conversora de medidas a fim de conhecer a medida equivalente à sua.
 
Comparar preços. É uma tarefa muito importante e um passo que não deve saltar antes de decidir comprar uma vez que, visto existir uma grande variedade de lojas online, facilmente encontra a mesma peça num outro site a um preço mais acessível.
 
Conhecer a política de troca e devolução. Outro passo que não deve saltar e que muitas vezes se torna fundamental no ato de compra. Visto que não existe a possibilidade de experimentar e se ver ao espelho antes de comprar é importante conhecer a política de troca e devolução da marca de forma que, se precisar de trocar e/ou devolver uma peça, seja uma tarefa simples de concretizar.
 
Conhecer a política de portes de envio. A par da política de troca e devolução é muito importante conhecer a política de portes de envio a fim de evitar surpresas na hora de conhecer o valor total da sua compra. Este passo permite muitas vezes, diferenciar as marcas e facilitar o processo de escolha na hora de compra.
 
Dormir sobre o assunto. A melhor estratégia para evitar compras por impulso é, muitas vezes, optar por dormir sobre as suas escolhas. Antes de finalizar a compra pare para pensar sobre o assunto. E reflita sobre a real necessidade de fazer tal compra.


janeiro 29, 2018

Consumo | O barato nem sempre sai caro

 
 
 
A construção de um guarda-roupa é um investimento grande. A curto e a longo prazo. E se muitas são as mulheres que optam por realmente fazer do seu guarda-roupa um investimento. Outras optam por pensar a curto prazo. E ao invés de investir em poucas (mas boas) peças. Não resistem aos apelos ao consumo. E investem constantemente em peças mais baratas. O que também não é errado, atenção. Cada um é como cada qual. E cada um sabe onde e como deve gastar o seu orçamento. O meu ponto de vista já é conhecido. Mas se você dá por si a preferir investir em marcas mais acessíveis mas gostaria de ter sempre uma imagem impecável. Saiba que não é impossível. Basta seguir as próximas dicas e verá como o barato nem sempre sai caro.
 
1. Conhecer as tendências dos grandes criadores e procurá-las em marcas mais acessíveis. O importante aqui é encontrar os cortes que mais a favorecem e agradam e procurar a correspondência equivalente em lojas com preços mais acessíveis (Zara, Mango, H&M, Primark...). O mesmo se aplica à forma como usa as peças. Procure inspiração nos seus ícones de estilo e estude a forma como usam determinada peça e reproduza. Rapidamente uma peça de uma marca mais acessível cria a ilusão de ter sido bem mais cara. Pode parecer estranho mas muitas vezes é o suficiente para valorizar determinada peça e, consequentemente, o coordenado final.
 
2. Optar por cores, padrões e cortes clássicos cuja manutenção seja mais fácil. Optar por cores neutras e padrões e cortes clássicos é sempre o caminho mais fácil, uma vez que permitem inúmeras combinações e, em marcas mais acessíveis, são muitas vezes as que melhor qualidade têm e cuja manutenção é mais simples. Tendo sempre em consideração a importância de procurar por defeitos nas peças. Se a peça não tiver os botões todos; a bainha descosida; os ombros mal alinhados (peças com padrão ou de corte clássico), etc. não a traga consigo. Nesse caso, o barato vai sair caro.
 
3. Prestar atenção ao material da peça. O importante aqui é certificar-se de que o material da peça é bom, ainda que se trate de uma peça/loja/marca mais acessível. Lembre-se que materiais mais translúcidos tendem a parecer mais baratos e de menor qualidade. Sempre que duvidar da qualidade de determinado material coloque a peça contra a luz com a sua mão no interior da peça. Se a sua mão for visível através da peça não a traga consigo. O material não é o melhor e o barato vai, também aqui, sair caro. 

janeiro 26, 2018

Opinião | Gel de banho aloé vera [Jásön]

 

 
Não tenho por hábito partilhar a minha opinião relativamente a gel de banho. Não é mentira nenhuma que não sou, de todo, exigente com este produto de beleza. Apenas peço que tenha um bom aroma. E hidrate minimamente a pele. Sempre se usou gel de banho de supermercado cá por casa. Salvo raras exceções em que se optava por produtos de farmácia. Até ao dia em que decidi testar um gel de banho mais natural. E, como não podia deixar de ser, optei por ir ao Celeiro em busca do eleito.
E devo dizer que, para primeira experiência, não correu nada mal:
→ Tem o típico aroma do aloé vera.
→ Tem uma fórmula relativamente hidratante.
→ Dura imenso (mas mesmo imenso) tempo. [Cá em casa somos 4 e durou 6 meses!]
→ Apenas é necessária uma pequena quantidade de produto em cada utilização.
→ O doseador permite evitar desperdício de produto.
→ É um pouco caro mas a qualidade compensa bastante.


janeiro 24, 2018

A B C do Estilo | Como tirar o melhor partido dos seus botins

 
 
 
Em dias frios, os pés pedem maior conforto e aconchego. E se há calçado que permite estar confortável e bem aconchegada são os botins. Existem em diferentes formatos e com todo o tamanho de saltos. Bem como em diferentes materiais. Se bem que, a melhor opção são sempre os modelos clássicos: de cano curto e em cores neutras como o preto, azul marinho ou castanho. Porque são mais simples de conjugar. E porque permitem um sem número de coordenados. Já que podem ser conjugados com qualquer peça e usados em qualquer estilo pessoal. Ocasião e/ou grau de formalidade.
 
→ Quando coordenados com calças resultam particularmente bem com modelos skinny. Sendo que a calça deve ficar por dentro dos botins para um efeito mais elegante. Esta técnica resulta particularmente bem se os botins forem da mesma cor que as calças, uma vez que criam a ilusão de uma perna mais longa e esguia.
 
→ Outra forma de usar é dobrar a bainha das calças até ficar a tocar no início do cano dos botins para um resultado mais casual.
 
 
 

 

 

 

 
 
→ Quando coordenados com saias ou vestidos deve ter o cuidado de não os usar com saias abaixo do joelho sob pena de criar a ilusão de uma perna bastante mais curta. A melhor opção são modelos da mesma cor que as meias a fim de criar a ilusão de uma perna mais longa e fina.
 
→ Outra forma de os coordenar é usar botins em tons nude ou cor da pele para não haver nenhuma quebra e criar a ideia de continuidade e de uma perna mais longa.
 
 



 

 

 
 
 
 




janeiro 22, 2018

A B C do Estilo | 2 Motivos porque pensa não ter nada para vestir

 
 
 
O cenário repete-se diariamente. Abre o roupeiro e olha. Volta a olhar. Escolhe um coordenado e olha-se ao espelho. Algo não bate certo. Volta ao roupeiro. E o processo repete-se algumas vezes até que conclui de forma brilhante que não tem nada para vestir. Será mesmo verdade?
A resposta é simples: não.
Por mais frustrante que possa parecer este sentimento é apenas e só uma fase. Que, por sinal, é relativamente fácil de ultrapassar. Bastando para tal apenas chegar à raiz deste pensamento. Geralmente, os 2 principais motivos que a levam a pensar que não tem nada para vestir são:
  1. Falta de confiança
  2. Falta de definição do seu estilo pessoal
Falta de confiança
É realmente um problema sério, nomeadamente, se tivermos em consideração que o que decidimos usar reflete a nossa personalidade e a forma como vemos a nossa imagem pessoal. E se não estiver feliz com a sua imagem corporal e com o reflexo que vê no espelho, independentemente da sua escolha de coordenado, a sua confiança será afetada. Ter uma ideia errada e negativa da sua imagem apenas a está impedir de usufruir ao máximo do seu estilo pessoal.
 
Como ultrapassar esta limitação
O conselho mais precioso que lhe posso dar é deixar de se focar no seu tipo de corpo e passar a preocupar-se apenas em trabalhar para aumentar o seu nível de confiança no geral. Foque a sua atenção nas suas qualidades e nas mudanças que pretende fazer para melhorar a sua vida e a sua relação com os outros. Lembre-se que o seu corpo não a define nem deve, de todo, impedi-la de usar o que bem entender e expressar o seu estilo pessoal.
 
 
Falta de definição do seu estilo pessoal
Se a falta de confiança não se coloca mas tem sérias dificuldades em criar coordenados com os quais se identifica realmente então é porque ainda não encontrou o seu estilo pessoal. Apenas e só.
 
Como ultrapassar esta limitação
O conselho mais precioso que lhe posso dar é que comece a focar a sua atenção no que as outras pessoas usam. Use alguém cuja imagem lhe chame particularmente a atenção e torne-a num objeto de estudo. Analise a forma como coordena as peças, cores, cortes e padrões. Estude as combinações de acessórios e comece a encontrar formas de reproduzir esses coordenados. Procure marcas e lojas que disponibilizem as peças que lhe chamam a atenção. E finalmente execute. Crie e, principalmente, use os coordenados para perceber como a fazem sentir e se realmente transmitem a sua personalidade. Se o resultado for o esperado, continue. Se não, não desanime. Amanhã é outro dia. E, certamente, o coordenado escolhido será mais adequado. Lembre-se que não se espera que acerte à primeira tentativa. A piada está, precisamente, em ir errando ao longo do caminho.


janeiro 19, 2018

Opinião | Champô Estimulante Dercos [Vichy]




Após um ano numa autêntica luta para vencer a queda de cabelo. Foram várias as dicas, estratégias e produtos que fui testando. No geral foram boas tentativas. Pelo menos foram mais os sucessos que os retrocessos. E só por isso já valeu a pena. Após imenso tempo a usar o mesmo champô anti queda. E após algumas consequências da sua utilização. Senti a necessidade de mudar de marca e produto. E foi uma boa mudança:
→ Tem uma textura bastante suave.
→ É muito suave para com o cabelo.
→ Combate a queda de cabelo eficazmente.
→ Não resseca o couro cabeludo nem o cabelo por não conter biotina na sua composição.
→ A embalagem com doseador evita o desperdício de produto.
→ Dura imenso tempo.
→ Tem uma excelente relação qualidade/preço.


janeiro 17, 2018

A B C do Estilo | Como desenvolver um sentido de estilo apurado

 
 
 
Muitas mulheres nascem com um sentido de estilo apuradíssimo. Dão por si, logo em crianças, a preocupar-se constantemente com a sua imagem pessoal, com a mensagem que esta transmite e como a podem melhorar. Por outro lado, outras há que não atribuem um grau de importância tão elevado no que toca à preocupação com o seu estilo e imagem pessoal. O que, por si só, não constitui um problema, bem pelo contrário. Como em tudo na vida, cada um tem o seu tempo. E todos os dias são válidos no que diz respeito a melhorar a sua imagem pessoal. Se, só há pouco tempo deu por si a preocupar-se realmente com a sua imagem pessoal e a mensagem que esta transmite. Saiba que existem 3 estratégias que pode utilizar para criar um sentido de estilo mais apurado e uma imagem pessoal que melhor reflita a sua personalidade.
[Importa realçar que, nesta fase, o foco deve ser a observação; a compreensão das diferentes peças de um coordenado e como funcionam em conjunto e o descortinar de quais as cores, modelos, cortes e padrões que mas lhe chamam à atenção. Não se preocupe em definir o seu estilo pessoal logo à partida. Esse passo deve ficar para uma altura em que a confiança na sua imagem pessoal esteja mais elevada.]
 
Torne-se numa observadora. A estratégia que melhor funciona quando procura perceber como pode melhorar o seu sentido de estilo é observar as outras pessoas. Nomeadamente, a forma como se apresentam. Como escolhem coordenar as diferentes cores, padrões e texturas e o tipo de calçado e acessórios que usam. Para tal, pode (e deve!) usar o seu ambiente pessoal e profissional e ser o mais precisa possível. Sempre que der de caras com um coordenado que goste tente compreender o que mais lhe chama a atenção nele.
 
Aprenda a imitar. No que toca ao estilo pessoal, o mais importante é a inspiração. A imitação não deve ser uma opção. No entanto, quando se trata de quem pretende aprender, a melhor forma de começar é pela imitação. Imitar outra pessoa na forma como se apresenta pode ter algumas vantagens: ao imitar um coordenado é fundamental prestar atenção ao detalhe e assim aprenderá a treinar o seu olho e estará a dar largos passos no apuramento do seu estilo. Além do que, imitar um coordenado é uma boa estratégia para ir testando e experimentando diferentes cores, cortes e materiais e descobrir os que  encaixam melhor na sua personalidade e na mensagem que pretende transmitir com a sua imagem.
 
Saia da sua zona de conforto. A única forma de poder afirmar com certeza que descobriu o seu estilo pessoal é sair da zona de conforto e experimentar usar peças e cores que não seriam a sua primeira escolha. Pode, ainda, optar por visitar lojas que normalmente não seriam opção ou até começar a usar peças que gosta de ver nas outras pessoas e que pensa que em si não teriam o mesmo resultado. Pode vir a ter boas surpresas!


janeiro 15, 2018

A B C do Estilo | Como usar vestidos no inverno

 
 
 
Com a chegada dos dias mais frios, a vontade de deixar para segundo plano a utilização do vestido manifesta-se de uma forma mais intensa. No entanto, nem sempre se deve ceder à tentação, uma vez que é perfeitamente possível que o vestido transite de uma estação quente para uma estação fria com os devidos ajustes, claro está.
Coordenar o vestido com um casaco de pele; um sobretudo; um blazer ou um trench coat. A grande vantagem aqui é a possibilidade de adicionar camadas ao coordenado de forma a fazer face a possíveis alterações meteorológicas; bem como arriscar na conjugação de diferentes padrões e texturas.
Coordenar o vestido com botas. Calçado aberto no inverno? Ninguém merece! Assim sendo, aposte num par de botas estilo militar; até ao joelho, ou mesmo acima do joelho para uma imagem mais sedutora.
Optar por usar modelos de cor neutra ou com uma base mais escura caso se trate de um modelo com padrão. Nos dias mais frios nem sempre um vestido com um padrão tropical é a opção mais elegante. Esta regra não se aplica aos vestidos brancos. Isto porque estes permitem criar coordenados muito elegantes quando conjugados com meias e calçado mais "pesado".
Coordenar o vestido com meias pretas. A meia preta é a opção certa para quem pretende um coordenado de inverno elegante. Esqueça a meia transparente, não fará nada de positivo pela sua imagem.
Coordenar o vestido com meias coloridas ou de fantasia. Se não tem medo de arriscar e pretende criar coordenados de inverno mais divertidos, meias coloridas ou de fantasia são a solução para si.
 
 

 

 

 
 
 
Imagens: www.extrapetite.com
 

 


janeiro 12, 2018

Opinião | Gel Micelar [Garnier]




A limpeza da pele é fundamental para conseguir uma pele saudável. Após um dia atarefado a expor a pele a todo o tipo de agressões. É fundamental limpar muito bem a pele. E prepará-la para se recuperar e regenerar durante a noite. É um passo que não dispenso da minha rotina de beleza. Nomeadamente por a minha pele ter tendência a ser acneica. Vai daí, estou constantemente a testar novos produtos. O último foi o da imagem. E os resultados foram bastante positivos:
→ Limpa a pele muito eficazmente.
→ Tem uma textura bastante suave.
→ É bastante suave para com a pele.
→ Tem um aroma agradável.
→ Dura imenso tempo.
→ Tem uma boa relação qualidade/preço.


janeiro 10, 2018

Estilo | Os sapatos mais amorosos de sempre

Os sapatos dizem muito sobre quem os usa. Por incrível que pareça. E podem valorizar ou arruinar qualquer coordenado. Com essa premissa em mente. E com a necessidade premente de comprar um novo par de sapatos. Decidi fazer algo que não é muito comum para mim. Render-me aos encantos de uma artesã nacional. E comprar um par de sapatos feito à mão. Que é só do mais amoroso e confortável que usei nos últimos anos.
 



 
Não é novidade para ninguém que tenho um carinho especial por produtos feitos à mão. Têm outro encanto, sejamos sinceros. São mais pormenorizados e personalizados. E a atenção ao detalhe é totalmente diferente das grandes marcas. E se há característica que prezo em mim. É a atenção ao detalhe e ao pormenor. Muitas vezes são os pequenos detalhes que fazem a diferença. E tornam um simples coordenado. Em algo único e original. Sendo eu uma pessoa simples e com uma imagem simples. Gosto de ir apimentando a coisa com pequenos e diferentes detalhes.
Até porque: A simplicidade está na base da elegância.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Blusão Salsa
Malha Lefties
Camisola Mo
Jeans Salsa
Sapatos handmade
Cachecol homemade
Mala Cavalinho

janeiro 08, 2018

A B C do Estilo | A cor do ano 2018

"A cor do ano Pantone tornou-se  muito mais do que uma tendência no mundo do design e da moda; agora é realmente o resultado de uma reflexão e da identificação daquilo que está em falta no mundo atual."
[Laurie Pressman, vice-presidente do Pantone Color Institute]


 
 
A cor do ano está eleita. E se há eleição pela qual o mundo da moda anseia. É a da cor do ano. A verdade é que são cada vez mais as pessoas que se capacitam que a cor que decidem usar nas suas peças de roupa. Serve como um meio para a transmissão de determinada mensagem. Sim, as cores também falam. E fazem-no por si. Sem se dar conta. Sendo uma mistura entre vermelho e azul. A cor deste ano combina o melhor de dois mundos. A sensualidade da cor vermelha. Com a tranquilidade da cor azul. O que resulta numa cor rica e exuberante que deixa adivinhar algum luxo aquando da sua utilização. Por falar em utilização. Desengane-se se pensa que esta cor é difícil de coordenar. Para provar o contrário. A Pantone divulgou algumas das coordenações possíveis.. Ora espreite:
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 


janeiro 05, 2018

Consumo | Desafio Armário Inteligente sem Saldo a Descoberto

Melhorar os meus hábitos de consumo tem sido um objetivo presente. Mas se tomar a decisão é fácil. Passar das palavras à ação pode não ser tão simples. Não por falta de vontade. Mas por vezes acaba por ser mesmo um desafio. E se há característica que privilegio na minha personalidade. É não recusar um bom desafio. Aliás, já vem sendo um hábito. Criar um bom desafio anualmente. E se no ano passado o foco recaiu na beleza. Este ano, o foco será o meu guarda-roupa. A verdade é que há muito que a minha imagem não me deixa particularmente feliz. Não que considere que tenha uma má imagem. Muitos assim o pensarão mas não é o meu caso. Mas há muito que quero mudar a minha imagem. Sinto mesmo necessidade de mudar completamente a imagem. E ao longo dos anos tenho vindo a fazer várias tentativas. Nada bem sucedidas, por sinal. [Em casa de ferreiro espeto de pau, certo?] O resultado não tem vindo a ser o esperado. E a verdade é que a brincadeira de criar desafios para melhorar os meus hábitos de consumo. Se teve consequência positiva. Foi mesmo o obrigar-me a parar para pensar. Analisar criteriosamente a minha imagem. Descortinar o que não me satisfaz. E compreender o que é necessário melhorar ou mudar radicalmente.
Dizem que é natural em determinadas alturas da vida sentirmos necessidade de mudar. Seja a cor ou corte de cabelo. Seja o carro. Seja a casa. Seja o emprego. Ou até mesmo somente a rotina. Mais tarde ou mais cedo chega uma hora em que mudar é quase a única palavra do dicionário que conhecemos. Os obstáculos e as partidas que a vida tem vindo a pregar-me nos últimos anos culminaram num ano de reflexão. Introspeção. E chegada a algumas conclusões. Sendo que a fundamental é que não necessitamos de tanto para sermos felizes. Não são os nossos pertences que nos tornam melhores ou piores seres humanos. Não se trata de ter mas sim de ser. Cada vez mais é fundamental que o ser humano se capacite disso. Mas, como tudo na vida, cada um tem o seu tempo. O ano que agora terminou ensinou-me que a minha hora chegou. É hora de melhorar a minha imagem. O que vai, sem dúvida, ser um desafio. Por diversas condicionantes que não interessa mencionar. A par do Desafio Beleza Sem Desperdício. O Desafio Armário Inteligente sem Saldo a Descoberto vai ser uma aventura.
Cujos resultados vou partilhar por aqui.
 
Os objetivos são bastante claros:
Simplificar o guarda-roupa.

Construir um guarda-roupa inteligente ao longo do ano que reflita efetivamente o meu estilo pessoal.
Compreender como as lacunas do meu guarda-roupa atual prejudicam a minha imagem pessoal.
Investir de forma consciente.
Editar o guarda-roupa de forma a manter apenas as peças essenciais.
Mostrar como é possível criar uma boa quantidade de coordenados com um número reduzido de peças de roupa e sem arruinar o orçamento ou prejudicar a imagem pessoal.
Partilhar boas estratégias de compras.
 
Trabalhar com a imagem traz inúmeras aprendizagens. Sendo a mais preciosa. A de quanto a nossa imagem pessoal pode validar quem somos. Ser Consultora de Imagem é, para mim, um enorme desafio. É fundamental estar atenta a tudo quanto é tendência. Descortinar boas e más opções. Compreender o quanto determinada peça, cor ou corte favorece ou não determinada pessoa ou estilo pessoal. E, apesar de não ter uma imagem desleixada, foi fácil chegar à conclusão que a minha imagem atual não me valida enquanto boa profissional. Por não seguir particularmente nenhuma tendência. Mas, acima de tudo, por me pautar por ter uma imagem simples. O que, confesso, durante muito tempo me deixava insegura. Até ao momento em que, qual epifania, me capacitei que, apesar de ajudar, a minha imagem não diz tudo sobre mim. E se eu sou simples. Não há qualquer problema nisso. Bem pelo contrário. É uma característica como qualquer outra. Que pode dizer muito (ou nada!) sobre uma pessoa. Isto tudo para dizer que este desafio irá servir apenas e só como instrumento para melhorar o que está menos bem e para me permitir validar mais e melhor como boa profissional.
 
 
Vamos a isso!
 




janeiro 03, 2018

Beleza | Desafio Beleza Sem Desperdício [O Resultado]

Tenho vindo a repetir quase diariamente o mesmo. Este foi o melhor desafio que poderia ter feito. Nomeadamente no que diz respeito aos meus hábitos de consumo. Cada dia tenho maior convicção que era uma consumista de primeira. Pelo menos no que diz respeito a produtos de beleza. Sempre fui apaixonada. E adorei usar. E essas eram as desculpas perfeitas para comprar ou testar (só) mais um. Enfim... A idade tem os seus benefícios. E comigo tem vindo a ensinar-me que não preciso de tanto como pensava para ter um aspeto cuidado. Para ser sincera, muitas eram as vezes, em que usava diferentes produtos com o mesmo objetivo. O que não é nada mais que um desperdício de tempo e dinheiro. Acreditem. Bem sei que é um lugar comum, mas a verdade é que quanto mais simples melhor. Mesmo. E apesar de não usar maquilhagem. Acabava por me vingar nos hidratantes e afins desta vida. A decisão de reduzir a quantidade de produtos que compro e utilizo é um processo. Com várias tentativas e erros. No entanto, um ano após decidir alterar os meus hábitos de consumo. Não poderia estar mais satisfeita comigo própria. Os resultados foram bastante positivos, apesar de assustadores. Sim, assustadores. Confesso que foi necessário este desafio para ter real consciência da quantidade de produtos que usava. E, deixem que vos diga, estava bem longe de ter consciência. Bem longe mesmo. Mas como, as imagens falam melhor que as palavras. Aqui fica o registo de todos ao produtos de beleza que utilizei durante o ano que agora terminou...


Total de produtos utilizados: 92


Mas vamos por partes. É importante categorizar os produtos para realmente compreender a quantidade de produtos utilizados. E quais as mudanças que ainda podem ser feitas. Vou começar pelo cabelo. Que, como já o mencionei, me dá algum trabalho. O meu cabelo é seco, quebradiço, frágil e com boa tendência para a queda. É sensível em resumo. E se houve período em que tive o cuidado de o estudar e escutar. Foi durante o ano que terminou. Mas vamos aos números:
Champôs:12
Condicionadores: 4
Máscaras: 5
Leave in: 5


Relativamente ao corpo, a tarefa não foi tão difícil. A minha pele do corpo é seca. Mas, apesar dessa condição, cuidar dela acaba por não ser muito difícil. No entanto, tenho que confessar que, um dos meus calcanhares de Aquiles no que toca a produtos de beleza são os hidratantes corporais. Gosto imenso de usar e testar. O que acabou por dificultar consideravelmente o desafio a que me propus. Mas, mais uma vez, vamos aos números:
Gel de banho: 10
Gel de higiene íntima: 6
Exfoliante: 4
Hidratante: 8
Desodorizante: 4
Hidratante de mãos: 3
Hidratante de pés: 2
Perfume: 2
 
Finalmente, no que diz respeito ao rosto. A tarefa não foi tão difícil como esperava. Talvez por já ter começado a reduzir e simplificar a minha rotina de pele. Não fosse a luta contra o acne. E poderia afirmar que aqui não teria tido qualquer problema. Mas não se pode ter tudo não é verdade? Vamos, então, aos números: 
Gel de limpeza: 4
Exfoliante: 2
Hidratante: 7
Lip balm: 7
Tratamento: 2
Vários: 1
 
 
Para finalizar é importante partilhar algumas considerações a que fui chegando durante o desafio e que fazem realmente a diferença no que toca aos meus hábitos de consumo:
  • É muito importante analisar previamente muito bem as necessidades de corpo, rosto e cabelo a fim de comprar produtos específicos para colmatar tais necessidades.
  • A fim de evitar desperdício de produto a melhor opção é, sempre, comprar embalagens familiares com doseador.
  • Optar por produtos de marcas profissionais. São um investimento mas o resultados falam por si.
  • Aproveitar as ofertas de marcas de beleza para aumentar a oferta de produtos de beleza. Algumas marcas oferecem produtos para comemorar datas especiais o que permite testar novos produtos sem fazer qualquer investimento.
  • Se a nossa pele e cabelo não tiverem necessidades específicas podemos, sempre, optar por produtos que possam ser utilizados para a lavagem do corpo e do cabelo. Existem algumas opções no mercado bastante razoáveis.
  • O uso do exfoliante torna-se dispensável quando optamos por lavar o corpo com o nosso gel de banho habitual e uma luva exfoliante.
  • Se o objetivo for poupar ao máximo o orçamento mensal podem, sempre optar por pedir como presente de aniversário ou de Natal aquele produto de beleza que estão a precisar ou querem testar aos familiares e/ou amigos. Podem ter uma boa surpresa.
  • Optar por uma rotina simples e rápida de beleza é meio caminho andado para evitar compras por impulso e desnecessárias. A partir do momento em que sabemos quais os produtos que resultam e como devemos utilizá-los, o processo é muito mais fácil e o desperdício quase inexistente.