dezembro 18, 2017

A B C do Estilo | Como (bem) usar malhas no inverno

  1. Coordenar com uma camisa oversize tendo em consideração que, para uma imagem atual, deve assumir que ambas peças são mais compridas e mais largas que as restantes peças do seu guarda-roupa.
  2. Coordenar com uma parte de baixo mais glamourosa para um visual menos festivo e mais dia-a-dia.
  3. Coordenar com calças de ganga skinny e uns botins para uma imagem mais feminina.
  4. Coordenar com umas calças de ganga e uns ténis para um visual descontraído de fim de semana.
  5. Coordenar com uma mini saia criando a ilusão que se trata de um vestido ou prendendo a parte da frente da camisola  dentro da saia.
 
 

 

 

 

 

 



dezembro 15, 2017

A B C do Estilo | Como (bem) usar peças de gola alta

 
 
 
→ Coordenar a gola alta com um colete para uma imagem mais leve e menos volumosa.
→ Coordenar a gola alta com um casaco de cabedal para uma imagem mais atual.
→ Coordenar a gola alta com saias justas ao corpo para evitar parecer que não tem curvas.
→ Coordenar a gola alta com um blazer de corte estruturado para uma imagem mais profissional.
→ Coordenar a gola alta em sobreposição com outra camisola de gola alta, tendo em consideração que a camisola que ficar por baixo deve ser justa  ao corpo e de um material mais leve que a ficar por cima.
 
 
 

 

 

 

 

 


dezembro 14, 2017

A B C do Estilo | O que usar na Festa de Natal da sua empresa

Confirme a existência ou não de dress code a fim de perceber o grau de formalidade do evento.
Opte por um coordenado mais sofisticado que o habitual sem exageros, afinal, trata-se de um evento profissional.
Optar por um vestido é uma boa estratégia, visto ser um coordenado por si só ao qual apenas terá que acrescentar alguns acessórios.
→ Se optar por um vestido tenha em consideração o seu corte e material. Prefira um modelo estruturado e que realce as suas formas sem mostrar demasiado o seu corpo. Lembre-se de levar um par de collants extra na mala para qualquer eventualidade. Os de cor preta são a opção mais elegante.
→ Se optar por uma saia, os modelos médios são uma boa aposta. Tenha em atenção que a saia não deve ser demasiado justa nem demasiado curta.
→ O blazer funciona muito bem como terceira peça quando coordenado com peças mais glamourosas.
Opte por peças com brilhos, acetinadas ou com lantejoulas com a devida moderação.
→ Se optar por usar calças prefira os modelos retos e de materiais mais leves e fluidos para uma imagem mais sofisticada.
→ Se optar por usar peças com transparências não se esqueça de usar um top por baixo para uma imagem mais elegante.
→ No que toca a acessórios, optar por peças marcantes é uma boa aposta.
Opte por uma mala pequena ou uma clutch para uma imagem mais cuidada.
 
 
 

 

 

 

 


dezembro 13, 2017

Consumo Consciente | Os R's da Moda Sustentável

 
 
 
A moda sustentável é cada vez mais uma tendência. Mas, afinal, o que significa moda sustentável? Simples. Muito simples. Moda sustentável inclui toda e qualquer peça que, durante o seu processo de confeção respeita o meio ambiente. Ou seja, a moda sustentável, enquanto conceito, engloba diferentes práticas de confeção bem menos poluentes e nocivas para o meio ambiente. O que se traduz numa grande redução da pegada ecológica na fase de produção e de consumo das peças de roupa. Seja através da matéria prima utilizada, seja através da durabilidade da peça.
Quando se fala em durabilidade da peça é importante salientar aqueles que são os R's da Moda Sustentável. São eles (em inglês): Reduce, Reuse, Recycle, Repurpose, Repair, Research, Rent e Repeat.
 
Em que consiste cada um dos R's?
Reduce (Reduzir): o principal foco da moda sustentável é apelar à redução do consumo como apelo à mudança de mentalidades. Com a redução do consumo, as marcas começam a dar conta da mudança de mentalidade e hábitos de consumo de cada consumidor e vêem-se obrigadas a mudar de estratégia no que à confeção diz respeito. Como resultado teremos práticas de manufaturação e confeção mais limpas e amigas do ambiente. Seja porque começam a desperdiçar menos matéria-prima e recursos. Seja porque se começam a focar na produção de peças com melhor e maior qualidade.
 
Reuse (Reutilizar): a melhor estratégia para praticar uma moda mais sustentável é aprender a comprar em lojas de roupa em segunda mão, trocar peças de roupa com amigos e/ou familiares ou dar nova roupagem às peças de roupa que já se possuem. O propósito é dar um novo uso a peças que já deixaram a sua marca no meio ambiente aquando da sua produção e rentabilizar essa marca ao máximo.
 
Recycle (Reciclar): o processo de reciclagem também deixa a sua marca no meio ambiente. Logo, antes de comprar é importante considerar que ao investir em determinada peça se vai rentabilizar o investimento até ao limite possível. Caso, seja qual for o motivo, determinada peça já não se enquadrar no seu estilo pessoal, em vez de a colocar no ponto de reciclagem. Opte por reciclar a peça doando-a a quem possa precisar. Assim, a longevidade da peça será consideravelmente maior. E o seu investimento não terá sido totalmente em vão.
 
Repurpose (Renovar): uma boa forma de dar uma nova roupagem a peças de roupa que se encontram encostadas no guarda-roupa é dar-lhes o seu cunho pessoal fazendo pequenas alterações na peça. Seja ao mudar o estilo e cor dos botões. Seja ao transformar umas calças em calções. Ou uns calções ou vestido numa saia. O importante é não descartar automaticamente a peça sem antes se certificar que não lhe pode dar uma nova vida.
 
Repair (Reparar): sempre que uma peça precisar de um pequeno arranjo, faça-o. Não se descarte dela só por preguiça de colocar mãos à obra. Se não tiver mãos de fada para a costura peça a um amigo ou familiar que o faça por si. Ou peça a uma costureira. O investimento financeiro é bem menor e a longevidade da peça é rapidamente aumentada.
 
Research (Pesquisar): a premissa mais importante da moda sustentável é a pesquisa. Cada vez mais é fundamental conhecer as marcas em que se escolhe investir. Quais são as suas práticas de confeção. Quais os cuidados com o meio ambiente. Quais os níveis de boas práticas para com os sues colaboradores. Lembre-se que enquanto consumidor também lhe dizem respeito estas questões.
 
Rent (Alugar): se não é pessoa para ter muitos eventos sociais. E não tem o hábito de investir em peças de cerimónia só porque sim. A melhor opção que tem ao seu dispor é o aluguer de peças de roupa. É uma boa forma de se apresentar com uma boa imagem em determinado evento ou cerimónia sem desperdiçar o seu orçamento e espaço no seu guarda-roupa. Existe uma grande variedade de marcas que disponibilizam peças de roupa de cerimónia a um preço bastante competitivo.
 
Repeat (Repetir): se, por outro lado, tem sempre imensos eventos ou cerimónias a frequentar não tenha pudor em repetir peças de roupa. Principalmente, se as pessoas com que se vai cruzar não estiveram em eventos anteriores. Caso tenham estado pode sempre optar por coordenar as peças de forma diferente ou com diferentes acessórios e calçado que ninguém vai reparar na repetição. E se reparar, o pensamento que lhes deve ocorrer é que você sabe rentabilizar o seu guarda-roupa de tal forma que não tem que estar constantemente a investir em novas peças.


dezembro 12, 2017

Produtividade | 3 Dicas para ser produtivo(a) enquanto empreendedor(a)

  1. Investir  em ferramentas de qualidade. Trabalhar a partir de casa permite diminuir imenso os custos. No entanto, pode facilmente ser a sua ruína se as suas ferramentas de trabalho não forem as indicadas ou estiverem  ultrapassadas. Para muitos empreendedores(as) é fundamental estar constantemente online. E, para tal,  é importante que o seu computador e ligação à internet correspondam às suas necessidades e expetativas.  Lembre-se que é fundamental que os custos sejam reduzidos mas o investimento não deve parar. É o investimento de tempo, nas ferramentas e na aprendizagem constante que lhe vão permitir crescer e atingir o sucesso.
  2. Planear, planear, planear. É a regra fundamental para uma boa organização e produtividade. Lembre-se que se não souber a direção que pretende seguir, qualquer caminho serve. Ou seja, se não tiver o cuidado de planear e executar as tarefas que lhe permitirão chegar onde pretende. Dificilmente lá chegará. Comece o seu dia de trabalho com a sua lista  de tarefas e compromissos na sua frente para ter sempre presente qual o passo seguinte para atingir o seu objetivo.
  3. Ser disciplinado(a). A principal característica exigida a qualquer empreendedor(a) é a disciplina. Sem disciplina dificilmente concretiza. Lembre-se que metade do seu rendimento enquanto empreendedor(a) se mede pela sua disciplina. E a disciplina deve, sempre, ser a sua maior motivação.
 
 


dezembro 11, 2017

A B C do Estilo | Calças brancas e inverno combinam?

A resposta é muito simples. Claro que sim. A verdade é que o branco é uma cor que rapidamente se tornou tendência em muitas peças básicas como acontece com as calças. No entanto, muitas mulheres deixam de utilizar calças brancas no inverno porque acreditam que não é uma cor da estação mais fria. Ou porque não sabem como criar coordenados coerentes. Se também acredita na teoria de que as calças brancas estão reservadas ao verão. Então, este artigo é para si.
 
↠ A forma mais fácil de usar calças brancas no inverno é coordená-las com tons neutros como o cinzento, azul marinho, preto, castanho...
↠ Outra forma de bem coordenar as calças brancas no inverno é optar por coordená-las com camisas de ganga.
↠ Para conseguir um coordenado mais descontraído pode optar por coordenar as calças brancas com uma camisa básica sobreposta por uma malha ou camisolão de lã. Lembre-se de deixar a gola e as pontas da camisa de fora e dobrar os punhos para um resultado mais moderno.
↠ Certifique-se de que as calças são feitas de um bom material e com um bom corte de forma a servir como uma boa base para qualquer coordenado em qualquer ocasião.
↠ Coordenar com blusas de cores quentes e materiais com diferentes texturas permite fazer um bom contraste com as calças brancas e conseguir um coordenado cheio de estilo.
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

dezembro 08, 2017

Consumo | Estratégias para se tornar um consumidor consciente

 
 
 
Depois de tanto tempo a não resistir ao impulso do consumo. Está mais que na hora de começar a fazer compras mais conscientes e informadas. Seja para aprender a lidar com as peças de roupa; seja para aprender a lidar melhor com o seu orçamento. Ou simplesmente para aprender a ter um menor impacto no meio ambiente.
Se pretende começar a fazer compras de uma forma mais racional e não sabe por onde começar. Então, este artigo é para si.
 
  1. Em vez de substituir a peça, conserte-a. Se notou que determinada peça está a precisar de um qualquer arranjo, faça-o. Não só vai permitir economizar, como passará a ter o seu cunho pessoal.
  2. Evite comprar peças de fast fashion. As peças de fast fashion são criadas para serem consumidas e descartadas rapidamente. O seu prazo de validade é sempre muito curto. O que é bastante nocivo para o ambiente e orçamento mensal. O melhor que pode fazer é optar pela qualidade em detrimento da quantidade.
  3. Use os produtos de beleza até ao fim. É fundamental usar todos os produtos de beleza até ao fim. Só assim evita acumular em demasia e desperdício de produtos.
  4. Exija mais. Informe-se em profundidade sobre as suas marcas favoritas e descubra o que elas fazem para ter um processo de confeção mais ético e sustentável.
  5. Apoie marcas locais. Ao optar por comprar localmente está a contribuir para um comércio mais justo e com menores custos de produção para o meio ambiente.

dezembro 07, 2017

Beleza | Acne: Tudo o que precisa de saber

 
 
 
A acne é das patologias da pele mais frequentes em todo o mundo. É uma doença caracterizada pela obstrução dos folículos pilosos. Estes estão ligados às glândulas sebáceas responsáveis pela segregação de uma substância oleosa, o sebo, que tem como principal função, a lubrificação da pele e do cabelo. Quando estas glândulas produzem sebo em excesso, este, em conjunto com as células mortas da pele podem começar a acumular-se nos folículos pilosos criando, assim, um ambiente propício à proliferação de bactérias. Sempre que o folículo incha e inflama ao acumular pus surgem as espinhas. Quando, por outro lado, o folículo abre e escurece surgem os comedões.
A acne afeta principalmente o rosto, pescoço, braços e costas. Existem diferentes tipos de acne com diferentes graus e o tratamento deve sempre ser prescrito por médicos dermatologistas de forma a preservar a saúde da pele e prevenir eventuais cicatrizes. Os sintomas da acne podem durar meses, anos ou ir melhorando pu piorando ao longo da vida. O que, muitas vezes, leva à baixa autoestima.
 
Fatores que podem agravar a acne
Stress
⇾ Tocar muitas vezes no rosto sem ter as mãos bem limpas
⇾ Suar em excesso
⇾ Deixar o cabelo em constante contacto com a pele (o que pode aumentar a produção de sebo)


Principais tipos de acne
Neonatal. É o tipo de acne que atinge os recém nascidos até aos 6 meses de idade. É mais frequente nas zonas que contactam com a mama da mãe durante a amamentação.
Adolescente. É o tipo de acne mais comum e acontece devido às alterações hormonais que se dão durante a puberdade. É mais frequente na chamada zona T (testa, nariz e queixo).
Adulta. É o tipo de acne que afeta, principalmente,  mulheres adultas devida a alterações hormonais, má alimentação, stress...É mais frequente na zona das bochechas e queixo.


Diferentes graus da doença
Grau 1 ou Acne vulgar. É o mais frequente e com menor grau de gravidade.
Grau 2 ou Acne pópulo-pustulosa. É um grau ligeiramente maior uma vez que a pele já apresenta algumas inflamações com pus.
Grau 3 ou Acne cística. O terceiro grau é mais grave visto que a acne afeta as zonas do rosto, peito e costas com a agravante de algumas das inflamações causarem dor.
Grau 4 ou Acne conglobata. É o penúltimo grau de gravidade da acne e é caracterizada por inflamações grandes e em grande número ao ponto de inflamar a pele de tal maneira que pode ficar desfigurada.
Grau 5 ou Acne fulminante. É o grau mais elevado visto ser caracterizado por inflamações dolorosas que pode magoar demasiado a pele resultando até em cicatrizes.

 
O tratamento da acne tem como propósito a redução da produção de sebo, combater a inflamação bacteriana e reduzir o nível de inflamação. Caso o tratamento da acne seja prescrito pelo seu dermatologista, é fundamental seguir à risca as suas recomendações. Lembre-se que apenas o médico conhece o medicamento, dosagem e duração do tratamento específico para o seu caso, pelo que é imperativo seguir as suas recomendações.
 
Cuidados a ter durante o tratamento da acne
⇾ Higienize muito bem as áreas afetadas pela acne duas vezes por dia.
⇾ Não toque nas áreas inflamadas sob pena de agravar as inflamações existentes.
⇾ Não toque na pele quando tiver as mãos sujas ou com utensílios sem os higienizar previamente.
⇾ Opte por manter o cabelo afastado das áreas inflamadas.
⇾ Use produtos específicos para controlar e tratar a acne.
⇾ Use diariamente protetor solar.
⇾ Pratique uma alimentação saudável e rica em vitaminas A, C, E e zinco.
⇾ Mantenha o organismo bem hidratado interior e exteriormente.

 
Acne e alimentação
Somos os que comemos. Assim sendo, a nossa pele será um reflexo da nossa alimentação. Pelo que é fundamental evitar o consumo de quaisquer alimentos que possam causar inflamação no corpo. E aqui importa esclarecer que cada organismo é um organismo. No entanto, os alimentos que mais associados estão à inflamação corporal são:
⇾ Lacticínios.
⇾ Chocolate.
⇾ Alimentos ricos em gorduras.
⇾ Açúcar.
⇾ Glúten.
 
 


dezembro 06, 2017

Vida Saudável | Alimentação Plant based


 
 
Alimentação plant based: o que é?
A resposta é simples. Muito simples. Alimentar-se à base de plantas e eliminar a proteína animal e seus derivados. Uma alimentação plant based é, então, optar por uma alimentação abundante em vegetais, legumes, fruta, sementes e cereais.
 
Porquê mudar para uma alimentação plant based?
Ganhar saúde. É o objetivo final. Seja para perder peso, para se manter saudável durante o processo de envelhecimento e/ou evitar as doenças que mais afetam o corpo humano.
Diminuir a pegada ecológica. A forma mais eficiente de reduzir as emissões de carbono é eliminar o consumo de proteína animal. Isto porque, para a criação de animais se gasta uma grande quantidade de recursos que podiam facilmente ser canalizados para outros fins. Não esquecendo o nível de poluição que a criação de animais acarreta.
Praticar a compaixão. Sobretudo pelos animais que, tantas vezes, são criados nas piores condições causando-lhes, em consequência, um elevado e desnecessário grau de sofrimento.
 
Como mudar para uma alimentação plant based?
  1. Reduzir progressivamente o consumo de carne. A melhor forma de começar é optar por um dia da semana em que não ingere carne. E, progressivamente, ir expandindo este hábito aos restantes dias da semana. É importante salientar que não deve existir pressa em atingir estes objetivo. É fundamental que faça tais alterações ao seu ritmo e de forma gradual para que a mudança seja real e eficaz.
  2. Eliminar o consumo de ovos. É um passo mais fácil que o anterior porque ainda não são muitas as pessoas que consomem ovos diariamente.
  3. Eliminar o consumo de lacticínios. Este passo tende a  ser o mais difícil para muitas pessoas, nomeadamente, se se tratar de alguém que adore leite. No entanto, se o foco se mantiver nos benefícios que advêm desta mudança, o processo será ligeiramente mais fácil.
  4. Privilegiar o consumo de alimentos não processados. E é aqui que começa a diversão. Este passo permite abrir os horizontes das suas papilas gustativas e descobrir sabores que até então desconhecia. E se, por vezes, não corre particularmente bem. Noutras tantas, tem agradáveis surpresas.

Que alimentos privilegiar?



A luta por um corpo e vida mais saudável é um objetivo constante. Há imenso tempo. E a conclusão é sempre a mesma. Não me comprometer realmente com a concretização do meu objetivo dificilmente me trará o sucesso pretendido. Admitir que não estamos realmente comprometidos com a mudança. Não é fácil. É, isso sim, necessário. E obrigatório.
Se há tema que desperta a minha curiosidade é a alimentação saudável. Que, como consequência, gera um corpo com uma imagem saudável e (mais) bonita. Porque nem só da roupa se faz uma  boa imagem. E o exterior é apenas um reflexo do interior. Se há aliado a que se pode recorrer aquando da busca de uma imagem mais bonita. É a alimentação. Pelo que, cada vez mais, é importante ter em atenção os alimentos que escolhemos ingerir.  Seja por motivos financeiros, estéticos, de saúde ou ambientais. A opção por alimentos mais naturais. Por tecidos mais naturais. E por um regresso às origens é cada vez mais pertinente. Sem exageros. Ou extremismos. É fundamental começar a criar-se a tendência da simplicidade, acima de tudo. Sobretudo, no que à imagem diz respeito. Não deixando nenhum pormenor ao acaso. Porque nem só da roupa se faz uma imagem.
 

dezembro 05, 2017

Organização | As diferenças entre Agenda, Planner e Bullet Journal

 
 
 
Organização e Produtividade são termos que estão intimamente ligados. Sem um não existe o outro. Por mais estranho que pareça. E ambos têm muito que se lhes diga. Feliz ou infelizmente, organização é uma característica bem vincada no meu signo. O que nem sempre significa que a produtividade se encontre presente. Seja porque em determinado dia me dedico a conjugar o verbo procrastinar. Seja porque noutro dia sejam tantas as tarefas a realizar.  Que se torna difícil conseguir concretizar todos os objetivos desse dia.
Apesar se ser bastante organizada. A verdade é que ainda não encontrei A minha ferramenta de organização. E se há altura em que  é importante parar e pensar se o método e ferramentas que se estão a utilizar se mostraram eficientes. É o final do ano. E caso o ano não tenha corrido como o esperado. Então esta é a altura certa de procurar alternativas.
Se também tem dificuldades em ser realmente produtiva. Ou se também ainda não encontrou a sua ferramenta de organização. Então, este artigo é para si. Descubra aqui as diferenças entre agenda, planner e bullet journal. As ferramentas de organização mais utilizadas em todo o mundo para promover a produtividade.
 
A Agenda é a ferramenta mais utilizada para uma organização eficaz. Isto porque permite administrar as tarefas diárias, nomeadamente, as tarefas profissionais e compromissos pessoais. Assim sendo, a agenda funciona como uma ferramenta de controlo da produtividade pessoal.
 
O planner é uma agenda mais pormenorizada. Isto porque permite organizar no mesmo suporte todas as esferas da sua vida: pessoal, profissional, financeira, etc.
 
O bullet journal é uma junção das ferramentas acima. Isto porque permite juntar no mesmo suporte a lista de tarefas diárias, os compromissos pessoais e organizar a vida financeira, ao mesmo tempo que lhe permite manter um controlo apertado sobre as metas e objetivos a concretizar.
 
 
A minha experiência
Apesar de ser bastante organizada. Confesso que ainda não encontrei  A minha ferramenta de organização. Após testar todas as acima mencionadas a conclusão a que chego é só uma. Todas funcionam e nenhuma funciona.  Quero com isto dizer que se há momentos em que uma ferramenta me parece mais indicada. Outros há em que não é de todo a mais indicada. Logo, a solução que encontrei foi alternar as ferramentas consoante as necessidades desse ano. Se bem que, a agenda ganha na maior parte das vezes. Talvez por, para mim, ser a ferramenta mais simples e básica.


O modelo eleito para o próximo ano
 
E por aí? Também existem grandes dilemas organizativos? Como vão esses níveis de produtividade?

dezembro 04, 2017

Estilo | O meu cachecol favorito

 

 

 

 

Blusão Salsa
Malha Lefties
Camiseiro Sacoor
Jeans Salsa
Botins Foreva
Mala Lanidor
Cachecol handmade
Brincos Parfois
 



dezembro 01, 2017

Consumo | 3 Dicas infalíveis para (bem) aproveitar a época de saldos




Não é segredo para ninguém que a mulher adora fazer compras. Se juntarmos essa adoração por compras a saldos. Temos a conjugação perfeita. No entanto, nem tudo são rosas. Verdade seja dita. São inúmeras as pessoas que desperdiçam o seu orçamento em compras que se mostram desnecessárias e irrelevantes. Tal acontece porque, muitas vezes, a mulher não sabe tirar o melhor partido das promoções e da época de saldos. Seja porque não sabem interpretar as condições para usufruir de determinada promoção. Seja porque compram determinado item sem ter uma rela necessidade de o comprar. Enfim, são inúmeras as razões que levam a mulher a comprar. Se tem o hábito de errar nas suas escolhas na hora de aproveitar a época de saldos. Então, estas dicas são para si:
→ É fundamental não comprar apenas porque está mais barato ou com um bom desconto. Deve, isso sim, aproveitar para comprar os itens que precisa e que estão em promoção.
→ Trazer consigo peças que sejam tendência no momento não é a melhor estratégia. Isto porque, se for alguém que goste de usar tendências, rapidamente estará fora de moda e ultrapassada no seu estilo pessoal. Deve, então, optar por comprar aquelas que, para si, são peças intemporais e que nunca podem faltar no seu guarda-roupa.
→ Trazer consigo peças que apenas usa em ocasiões especiais também não é a melhor estratégia. Deve, isso sim, optar por trazer consigo peças de uso diário que rapidamente justificarão o seu investimento.