fevereiro 27, 2017

Consumo | Como praticar um consumo mais consciente

 
 
 
Praticar um consumo consciente não está apenas relacionado com o local onde faz as suas compras. É óbvio que encontrar lojas e marcas mais ecológicas é uma boa estratégia e um passo importante. Mas há mais estratégias que pode seguir, melhores decisões que pode tomar e que, facilmente podem incrementar a sua rotina de compras e acrescentar valor à sua imagem.
 
1. Comprar menos: a quantidade de peças de roupa que compramos está  intimamente ligada à quantidade de recursos que usamos. Estudos indicam que, em média, compramos 70 peças de roupa por ano. O que significa, na prática, que a cada 5 dias acrescentamos uma peça ao nosso guarda-roupa. Comprar menos pode parecer pouco divertido mas não é. De todo. Comprar menos torna-nos melhores consumidores. Tornarmo-nos mais seletivos, o que acaba sempre por ter um impacto positivo no seu estilo pessoal.
 
2. Optar pela qualidade: é a parte mais importante para a criação de um guarda-roupa mais ético e tornar-se um consumidor mais consciente. Peças de roupa de melhor qualidade têm uma maior durabilidade. Logo não tem que, constantemente, comprar peças novas para as substituir. As peças de boa qualidade têm, também, uma melhor aparência e suavidade ao toque. É óbvio que reconhecer a boa qualidade pode ser um pouco complicado para quem está sempre rodeado por promoções e campanhas publicitárias durante a maior parte da vida. Mas isso é facilmente contornável. [Tema a abordar brevemente]
 
3. Manter o que já tem: se pretende criar um guarda-roupa mais ético e consciente e que lhe dure o máximo de tempo possível, vale muito a pena ter o cuidado de ir mantendo as peças de boa qualidade. Mas uma vez privilegiada a qualidade, fazer uma boa manutenção também lhe permite reduzir o custo que essa peça pode ter ao longo da sua vida. Principalmente se for tendo o cuidado de as guardar/pendurar da forma mais adequada e as lavar apenas quando estritamente necessário.
 
4. Reduzir as lavagens: o que fazemos com uma nova peça de roupa assim que chegamos a casa é mais importante do que julgamos. Lavar uma peça de roupa em demasia apenas levará a que esta perca em durabilidade. Logo, é importante que comece a reduzir as lavagens a que submete as suas peças de roupa ao estritamente necessário. Além de poupar recursos, está a poupar dinheiro.

fevereiro 26, 2017

Consumo | 5 Questões a responder antes de comprar uma nova peça de roupa

 
 
 
Usar uma abordagem minimalista na construção do seu guarda-roupa irá simplificar a maior parte do processo, exceto uma tarefa: as compras. Comprar uma nova peça de roupa será automaticamente mais complicado. A questão é que depois de ter investido o seu tempo na definição do que pretende ter no seu armário de forma a praticar um consumo mais consciente e saber como e onde vai gastar o seu orçamento, a oferta de peças que preencham tais requisitos irá diminuir drasticamente. Pelo que, é perfeitamente aceitável que, ao início, se sinta um pouco frustrada. Mas, o mais provável é que rapidamente se aperceba que essa dificuldade não é tão negativa como aparenta ser. Isto porque, uma vez que os seus requisitos se vão aprimorando, o processo de escolha é muito mais rápido e facilitado. E muitas das peças que há algum tempo atrás apenas iriam atulhar o seu armário nem sequer são consideradas. O que significa que deixará de realizar más compras e o seu armário apenas guardará peças que lhe assentam na perfeição e se enquadram no seu estilo pessoal.
Para tirar o melhor proveito possível das suas compras deve questionar-se se:
 
1. Esta peça enquadra-se no meu estilo pessoal?
A primeira vez que olha para uma peça de roupa é atraída pela sua forma/cor/corte quando a vê na prateleira ou no charriot e essa primeira impressão é o primeiro filtro na hora de se certificar se essa peça é o que procura. Logo, é importante que veja cada peça individualmente e compare a sua cor, material, corte e detalhes e se estes estão em linha com o seu estilo pessoal. E aqui deve ser o mais especifica que conseguir. Se a resposta a esta questão for positiva está no bom caminho.
 
2. Gosto do corte e material da peça?
O corte e o material não são negociáveis. Uma peça de roupa que esteja um pouco fora da sua zona de conforto é algo com que pode trabalhar, mas se o corte não for o ideal para o seu tipo de corpo ou o material não for bem aceite pela sua pele não é, de todo, uma boa aposta. Para lhe poupar tempo no futuro é importante ter sempre presente, no momento da compra, quais os cortes e materiais que privilegia em cada peça. Uma peça na prateleira ou no manequim é sempre diferente de como lhe assenta no corpo pelo que é fundamental que experimente sempre todas as peças que considerar comprar. Quando as experimentar certifique-se que as peças são confortáveis e não lhe retiram mobilidade. Deve ainda informar-se sobre os cuidados que a peça exige e se está disposta a comprometer-se com eles.
 
3. Qual será função da peça no meu guarda-roupa?
Antes de comprar qualquer peça deve, pelo menos, ter uma vaga ideia da função que esta terá no seu guarda-roupa. Cada nova aquisição deve estar em harmonia com a estrutura do seu guarda-roupa e com as suas preferências no que à criação de coordenados diz respeito. Mesmo que uma peça se enquadre no seu estilo pessoal, se não conseguir atribuir-lhe uma função, o mais provável é que não seja uma boa aposta.
 
4. Vai preencher alguma lacuna no meu guarda-roupa?
Aqui, é importante compreender se a peça que está a considerar comprar é uma peça que realmente precisa e se a irá ajudar a construir o seu guarda-roupa ideal. Como sabe, além de ser um reflexo do seu estilo e personalidade, o seu guarda-roupa deve adequar-se a todas as suas atividades diárias. Pelo que deve tentar manter sempre presentes quais as áreas do seu guarda-roupa que têm falhas de forma a conseguir fazer compras mais informadas e conscientes.
 
5. Consigo pensar em 3 coordenados para a usar?
Se a peça que está a considerar comprar "respondeu" positivamente às questões anteriores já deve ter reparado que está perante uma boa aquisição. Mas para uma decisão mesmo consciente confirme a versatilidade da peça ao pensar em diferentes coordenados em que a poderá utilizar. Se o seu guarda-roupa for coerente não lhe deve ser difícil chegar a uma resposta. De qualquer forma se se lembrar de, pelo menos, 3 coordenados em que a peça se encaixaria na perfeição... Não a deixe escapar!
 
 

fevereiro 25, 2017

Opinião | Champô Bain Fluidealiste [Kérastase]




Não é novidade para ninguém que o meu cabelo exige muitos cuidados. Mas se antes não me agradava ter que estar constantemente a ter atenção aos produtos que uso no meu cabelo. Hoje em dia. E depois de meses a estudar o meu cabelo e as suas necessidades. Confesso que cada vez tenho mais vontade de ser exigente com os produtos que uso. E os cuidados que tenho.
Há muito que conheço a Kérastase. E durante muito tempo apenas usei os produtos da marca no meu cabelo. Até ao dia em que tive a terrível ideia de testar outros produtos e marcas. E rapidamente o meu cabelo começou a dar sinais de não estar a gostar da mudança. E foi demorado o processo de recuperação. Houve uma queda de cabelo brutal pelo meio. Mas agora está a recuperar. E a voltar à sua antiga força. E eu não poderia estar mais feliz.
O último champô a terminar cá por casa foi um excelente aliado na recuperação do meu cabelo:
  • É um produto livre de sulfatos.
  • Após a sua utilização, o cabelo fica visivelmente mais suave e fácil de estilizar.
  • É um bom aliado para cabelos crespos e com frizz.
  • Confere um brilho saudável ao cabelo.
  • Com a utilização contínua, o cabelo fica mais disciplinado.
  • Tem um aroma fantástico.
  • Tem uma textura bastante suave.
  • A embalagem com doseador permite evitar desperdício de produto.
  • É um pouco caro mas a relação qualidade/quantidade/preço compensa bastante.
  • Dura imenso tempo.

fevereiro 24, 2017

Valorização Pessoal | 10 Formas de relaxar no dia-a-dia

 
 
 
1. Crie uma rotina matinal. Em vez de se agarrar ao telemóvel e redes sociais imediatamente após acordar, opte por despertar calmamente e dar início ao seu dia de forma tranquila e aproveitando para colocar as suas ideias no lugar. Pode optar por meditar durante um breve período de tempo ou tomar um bom pequeno-almoço tranquilamente enquanto lê o seu livro favorito.
 
2. Tenha atenção ao que lê. Uma forma muito rápida de diminuir  a ansiedade e o stress durante o seu dia é limitar a quantidade de informação que consome ao longo do dia. Experimente ser mais seletiva com os artigos que lê e o seu cérebro irá agradecer. Principalmente se optar por ler apenas artigos que acrescentam valor ao seu dia-a-dia.
 
3. Reduza a sua lista de tarefas diárias. Experimente estabelecer limites e prioridades no que respeita ao número de tarefas que pretende concretizar no dia tendo em atenção que estas façam realmente a diferença na hora de lutar para chegar onde pretende. Foque-se em realizar as tarefas mais importantes e mais difíceis em primeiro lugar enquanto a sua mente está mais liberta e a energia está ao rubro. As restantes e mais simples tarefas guarde para o momento do dia em que a energia começa a dar sinais de fraqueza.
 
4. Realize cada tarefa sem ceder a distrações. Realizar diferentes tarefas ao mesmo tempo pode criar uma sensação errada de maior produtividade. O melhor será realizar uma tarefa de cada vez sendo que se foca realmente na sua concretização e coloca de parte qualquer tipo de distração. Se tal estratégia lhe parece assustadora. Experimente focar-se em cada tarefa durante um determinado período de tempo, com breves pausas pelo meio, e só parar completamente após realizar a tarefa a que se propôs. Com o passar do tempo notará um aumento visível da sua produtividade e uma redução drástica da procrastinação.
 
 
 
 
5. Reduza o número de visitas ao e-mail. Estar constantemente a verificar o e-mail é uma boa forma de procrastinar e ver a lista de tarefas a aumentar desmesuradamente. Logo, uma boa dica é reduzir o número de visitas diárias ao e-mail, sendo que as visitas devem acontecer em períodos "mortos" do dia. O processo é simples: desligue as notificações de forma a evitar cair na tentação ou, se preferir, feche a sua caixa de e-mail. No momento que destinou para responder aos e-mails é importante que o faça de uma vez e decida o que fazer com cada um: responder, arquivar ou apagar. Todos os compromissos que forem surgindo devem ser anotadas imediatamente de forma a não existirem constrangimentos de horários e/ou possíveis esquecimentos. É importante não deixar nenhum e-mail em standby de forma a que quando voltar à realização das tarefas programadas não fique a pensar no e-mail que não tratou e na resposta que não deu e se consiga focar totalmente na tarefa que tem em mãos.
 
6. Não descure as tarefas pequenas. Se se focou na concretização das tarefas mais importantes e mais difíceis logo no inicio do dia é importante, de seguida, atacar as tarefas mais pequenas de forma a não entupir a sua agenda com um número considerável de pequenas tarefas. Experimente dedicar um período de tempo no seu dia ou semana para percorrer a sua lista de tarefas e ir concretizando uma a uma até ter terminado completamente e a sua agenda estar livre. É a melhor estratégia para não chegar ao final do dia ou semana com tarefas pendentes.
 
7. Respeite o seu horário de trabalho. Se há estratégia fundamental para ser produtiva é esta. De forma a manter a vida profissional compartimentada da sua vida pessoal é fundamental que, assim, que terminar o seu horário de trabalho desligue das tarefas/desafios profissionais. Uma boa ajuda será não levar trabalho para casa e apenas lidar com eventuais questões profissionais durante o horário de trabalho. Se trabalha a partir de casa é importante que siga um horário de trabalho por forma a que o seu cérebro saiba quando deve desligar.
 
8. Aprenda algo novo. É uma das melhores estratégias para relaxar no dia-a-dia. Aproveitar um momento do dia para desenvolver novas capacidades e novas técnicas. E aqui é importante não criar qualquer expetativa a não ser ter uma nova aprendizagem. Opte por começar por temas/técnicas/línguas que sempre lhe despertaram interesse e vá, gradualmente, aumentando as suas capacidades.
 
9. Divirta-se. A sociedade contemporânea é orientada para a concretização de objetivos e/ou para a preparação de um futuro mais próximo. Que nunca sabemos se vai realmente chegar. Uma boa forma de viver uma vida mais simples e intencional é certificar-se de que vive e aproveita o momento presente. Procure fazer algo que a divirta e lhe dê prazer diariamente.
 
10. Avalie a sua dependência das redes sociais. A maior fonte de stress da atualidade são as redes sociais. São as grandes causadoras da inveja e pressão social. Pelo que é importante tirar um momento para avaliar o uso e a dependência que tem das redes sociais. Se após essa avaliação o resultado, para si, for negativo considere fazer uma pausa das redes sociais durante um determinado período de tempo. Pode ainda considerar fazer uma boa limpeza às suas redes sociais e apenas manter as contas/pessoas que lhe acrescentam valor.
 
 
 

fevereiro 23, 2017

fevereiro 22, 2017

A B C do Estilo | Como quebrar a monotonia do seu estilo pessoal




  1. Comece a prestar atenção a tudo o que a rodeia e daí retire inspiração.
  2. Crie uma pasta ou ficheiro com coordenados nos quais se  possa inspirar quando der folga à imaginação.
  3. Crie uma nova paleta de cores para o seu guarda-roupa.
  4. Faça uma lista com os coordenados que usou na última semana e invista algum tempo em perceber o que pode acrescentar ou retirar para criar coordenados diferentes partindo da mesma base.
  5. Faça uma lista das suas principais atividades diárias e procure criar um coordenado que seja transversal à concretização de todas.

fevereiro 21, 2017

Consumo | Como comprar menos mas melhor




Vivemos uma época de consumismo puro e levado ao extremo. Diariamente somos bombardeados com campanhas publicitárias e a decisão de praticar um consumo consciente é difícil de manter. Assim como os nossos hábitos alimentares, a forma como lidamos com o consumo é cultivada ao longo de muito tempo e mudar esses hábitos requer esforço e disciplina da nossa parte. Mas, não é impossível!
Se pretende praticar um consumo mais consciente e não sabe por onde começar. Então, este artigo é para si.
 
Porque compramos em demasia?
1. Para aliviar o stress ou como recompensa por algo.
São muitas as pessoas que usam as compras como um barómetro das suas emoções. Para minimizar as emoções negativas e maximizar as positivas. Um sucesso pessoal ou profissional é, constantemente, recompensado com uma nova compra. Um desafio pessoal ou profissional é recompensado com uma visita à loja física ou online mais próxima. A ansiedade e o nervosismo combatem-se com a compra de um novo artigo. As compras funcionam, vezes demais, como um mimo ou pura indulgência. E a verdade é que, com o passar do tempo, a associação que fazemos entre as compras e a forma como estas nos ajudam a lidar com as nossas emoções vai-se tornando cada vez mais intrínseca, até ao momento em que se torna um hábito. Se, por norma, tem tendência  a comprar em demasia como escape para lidar com as suas emoções é importante parar e analisar os motivos que a levam a tomar essa decisão, bem como procurar uma estratégia alternativa. Encontrar uma nova atividade que lhe permita lidar com as suas emoções sem colocar em risco o seu orçamento.

2. Por diversão e como forma de passar o tempo.
Para muitas pessoas, fazer compras é só mais uma forma divertida de passar o tempo. Bater perna no centro comercial com ou sem companhia; o entusiasmo de encontrar algo novo e a ansiedade até o/a usar.. Se é uma fã de moda e gosta de usar as suas roupas como forma de expressão, fazer compras é  o pináculo da diversão. Por outro lado, se tem tendência a arruinar o seu orçamento com compras constantes e em demasia é importante que procure novas formas de se divertir e ser criativa através da moda e que não envolvam quaisquer tipo de gastos. Aproveite para fazer uma boa reorganização do seu roupeiro e testar novas combinações de peças e conjugações de cores. Aproveite  para, de uma vez por todas, definir o seu estilo pessoal.

3. Por falta de autoconfiança.
Algumas pessoas compram em demasia para tentar contornar a falta de confiança que têm em si próprias e julgam que estar constantemente a acrescentar novas peças de roupa ao seu roupeiro vai fazer algum tipo de diferença. A verdade é que não. Bem pelo contrário. Em vez de sair para comprar só por comprar. Invista o seu tempo em definir e criar o seu estilo pessoal. E o ponto de partida para criar um guarda-roupa coerente e que lhe transmita confiança em si e na sua imagem. Invista o seu tempo em ganhar mais autoconfiança nos diferentes aspetos da sua vida e rapidamente o seu guarda-roupa e imagem pessoal se tornarão um reflexo disso.


Como evitar compras por impulso?
1. Decidir antecipadamente o que comprar. A primeira regra  para evitar compras por impulso é decidir antecipadamente o que vai comprar. Não saia de casa sem saber exatamente o que vai comprar. E a melhor estratégia que pode utilizar. Antes de sair  certifique-se que faz uma lista precisa de tudo o que lhe esta a fazer falta no momento. E só depois deve sair para fazer compras. E importante que tenha em mente exatamente o que procura de forma a não se distrair com o que não precisa nem lhe faz a menor falta.

2. Tirar férias das compras. Estamos de tal forma acostumados a comprar que reduzir o volume de compras; reparar em vez de substituir e investir tempo na preparação de novas compras parecem conceitos totalmente desapropriados. Uma boa estratégia para ganhar uma nova perspetiva sobre o consumo é fazer uma pausa nas compras. Experimente passar um período de tempo sem fazer compras (excetuando as estritamente necessárias). Durante essa pausa nas compras aproveite para refletir sobre o seu padrão de compras e o que a motiva a comprar.

3. Atrasar a compra. Uma estratégia fantástica para evitar compras por impulso é atrasar a compra até ao momento em que tiver a certeza que se trata de um artigo que acrescenta valor à sua imagem e vida em geral. Esta estratégia funciona particularmente bem com artigos que não fazem parte da sua lista de compras.

fevereiro 20, 2017

A B C do Estilo | Lima Limão S.O.S.

Cenário: É a primeira saída a dois e tem que estar preparada para qualquer que seja o resultado.
 
 Como usar o seu guarda-roupa sem que pareça que perdeu horas a escolher o que vestir?
 
 

 

 

 

 
Imagens daqui 
  1. Opte por peças elegantes com um toque de sensualidade. Não queira mostrar demasiado sob pena de passar a mensagem errada.
  2. Escolha peças que não distraiam o seu par. O importante é mostrar a sua personalidade. O resto pode, perfeitamente, ficar para mais tarde.
  3. Não descure a roupa interior. Além de lhe dar uma maior confiança não a deixará ficar mal vista caso o encontro se prolongue.
  4. Use uma maquilhagem simples e natural.
  5. Opte por usar o cabelo solte se tiver o corte em dia. Caso contrário, opte por um apanhado simples que permitirá ao seu par ver-lhe melhor o rosto.

fevereiro 19, 2017

A B C do Estilo | Como sair da sua zona de conforto [Padrão Animal]

Há muito que é fã do padrão animal. No entanto, a coragem para o usar no dia-a-dia fica sempre guardada no fundo do armário. Procura inúmeras conjugações de forma a usar aquela peça comprada num impulso. É uma peça que adora mas o receio de ser olhada na rua como alguém sem qualquer sentido de estilo impede-a de a tirar do armário. Saiba que não é a única a lidar com essas incertezas.
 
Em vez de:
 


Opte por:

 

 


É sucesso garantido!
Uma estratégia que nunca falha:
 
  • Em vez de ambicionar um look completo padrão animal. Opte por ir introduzindo peças. Uma peça de roupa, calçado ou um acessório de cada vez. Assim que for ganhando confiança com essas adições pode, gradualmente ir acrescentando e alterando as peças que usa. De forma a replicar os coordenados que tanto a inspiram.

fevereiro 18, 2017

Opinião | Hidratante corporal de líchia [O Boticário]


 
  
Quando penso em hidratação corporal associo sempre esse ritual a um momento só meu. Um momento em que invisto em mim. E, confesso, que já não concebo sair do banho e não aplicar hidratante. Nem tampouco compreendo porque demorei tanto tempo a criar esse ritual. Enfim.. Pensamentos à parte. Este foi o último hidratante a terminar cá por casa. E como qualquer outra da marca não desiludiu:
  • É muito fácil de aplicar.
  • É de absorção rápida.
  • Hidrata bastante bem a pele e com o uso contínuo a pele mantém-se suave ao toque e com um aspeto bastante saudável.
  • É um produto que facilmente se encontra em promoção na marca.
  • Dura imenso tempo.
  • Tem um aroma delicioso.
  • O doseador evita o desperdício de produto.
  • Uma vez que o doseador chega ao fim da embalagem, é possível terminar o produto completamente.

fevereiro 17, 2017

fevereiro 16, 2017

A B C do Estilo | Como criar um guarda-roupa versátil para qualquer viagem




Passo 1: Especificar o tipo de viagem
O mais importante, antes de criar o seu guarda-roupa para a viagem, é conhecer o itinerário e saber de antemão o tipo de viagem que vai fazer. Viagem de negócios ou lazer, fim-de-semana romântico, atender a um determinado evento... O primeiro passo é, então, fazer uma lista de todas as atividades programadas. Sendo que, deve ter especial atenção ao facto de diferentes atividades possibilitarem o uso do mesmo coordenado. Depois deve estimar o número de dias em que é provável a repetição de coordenados.  A lista de atividades que criou vai definir o perfil da sua viagem e de forma a que as suas expetativas se concretizem é importante que crie 2 coordenados diferentes para cada atividade para ter hipóteses de escolha. Sem descurar a possível existência de um determinado dress code, as previsões meteorológicas, se vai caminhar muito durante a estadia, etc...
 
Passo 2: Criar a estrutura do guarda-roupa
Aqui, o importante é fazer uma lista pormenorizada do número de peças que vai precisar em cada categoria: calçado, partes de cima, partes de baixo, etc. Em seguida deve decidir o número de coordenados que vai necessitar. Sendo que, aqui deverá criar diferentes opções de coordenados para cada peça.
 
Passo 3: Planear os coordenados
Após finalizar a estrutura do seu guarda-roupa pode começar a selecionar peças específicas. O importante é escolher peças que coordenem entre si de forma que o seu guarda-roupa seja o mais versátil possível. Crie os seus coordenados tendo em consideração a sua paleta cromática e opte por peças básicas e algumas peças tendência para um guarda-roupa com mais informação.
Planear coordenados com antecedência permite-lhe:
  1. Certificar-se que o guarda-roupa escolhido é realmente versátil.
  2. Poupar tempo e energia na hora de escolher o que usar em cada dia da viagem.

fevereiro 15, 2017

Organização | O melhor cabide para cada peça de roupa

Acrílico: Ideal para peças leves 



Feltro: Ideal para vestidos e blusas de tecidos leves


Madeira: Ideal para camisas, casacos e fatos



Com presilhas: Ideal para saias e calções


Em cascata: Ideal para calças

fevereiro 14, 2017

A B C do Estilo | Dicas para melhorar a confiança no seu estilo pessoal

  1. Apresente-se sempre no seu melhor. A verdade é que a sua vida não para só porque ainda não atingiu todos os objetivos a que se propôs até ao momento. Logo, não aguarde até determinado momento no futuro para expressar o seu estilo pessoal e apresente-se no seu melhor. Agora. E as oportunidades surgirão. Acredite.
  2. Não ambicione ter uma imagem perfeita. Ser linda de morrer não é pré-requisito para ter uma imagem fantástica. É importante, isso sim, vestir-se de acordo com o seu estilo pessoal e a sua confiança e autoestima aumentarão gradualmente e irá sentir-se melhor consigo e com a sua aparência.
  3. Não se foque apenas no que a favorece. Se uma determinada peça é o reflexo do seu estilo pessoal, use-a. Mesmo que não seja a peça mais favorecedora. O objetivo não é ter uma imagem o mais próxima possível do que se considera ideal. O objetivo é usar peças de roupa que sejam o seu reflexo e o reflexo do seu estilo pessoal.
  4. Desenvolva o seu estilo pessoal. A inspiração é fantástica. Mas é apenas isso. Inspiração. Cada vez mais as mulheres são encorajadas a copiar outras mulheres mais bonitas e bem sucedidas em vez de serem estimuladas a pensar por si próprias e fazer as suas próprias escolhas sobre o que vestir e como se apresentar. Note que ao imitar outra mulher está, automaticamente, a comparar-se com ela. E comparar-se com outra pessoa nunca é boa ideia se se preocupa em ter uma boa autoestima. Principalmente quando o seu termo de comparação é alguém com uma equipa por trás a tratar dos aspetos da imagem de quem pretende imitar. Algo que pode fazer é usar a sua inspiração como uma boa ajuda na hora de sair da sua zona de conforto no que ao seu estilo diz respeito. Vá dando pequenos passos de forma a ir desbravando a sua zona de conforto. Experimente novas conjugações. Teste novas cores. Vista novas e diferentes silhuetas. Ainda que lhe pareçam demasiado "extravagantes" para o seu estilo pessoal. Experimente. Não tem nada a perder.
  5. Livre-se de todas as peças de roupa que não lhe trazem alegria. Se o seu guarda-roupa não lhe traz alegria no momento em que o abre diariamente é chegada a hora de resolver isso. E o melhor que pode fazer por si e pela sua imagem é descartar todas as peças que lhe trazem alegria, que não a favorecem ou que usar para se integrar na sociedade. Reserve o seu guarda-roupa para guardar as peças que lhe trazem alegria e lhe aumentam a confiança e autoestima.

fevereiro 13, 2017

Beleza | Como simplificar a sua rotina de beleza

 
 
 
O Desafio Beleza Sem Desperdício continua a dar cartas. Em suma, o objetivo é criar uma rotina de beleza de cuidados de rosto, corpo e cabelo que se adeque às minhas necessidades com o maior número de benefícios possível e o menor número de produtos. O propósito deste desafio é chegar ao final do ano com uma rotina de beleza minimalista (bem estabelecida e oleada) mas eficaz de maneira a destralhar o armário do wc e poupar tempo e dinheiro ao encontrar o conjunto de produtos ideal para as necessidades da minha pele e cabelo.
A verdade é que o processo é mais desafiante do que antecipei. Isto porque como o meu armário estava consideravelmente bem abastecido de produtos e estes não se gastam todos numa utilização única. Tenho vindo a notar que vou demorar a terminar cada um dos produtos. Tempo esse que pode ser investido na procura de alternativas e na análise da minha pele e cabelo de forma a facilitar a posterior escolha e compra dos produtos certos.
 
O que descobri até agora?
  • A pele do corpo é muito mais fácil de cuidar e manter que a pele do rosto. Isto acontece porque produtos destinados ao cuidado da pele do corpo ao terem uma única especificidade, nomeadamente, o tipo de pele. Permitem a existência de uma grande variedade de opções.
  • Os produtos para o cuidado do corpo, contrariamente aos do rosto, não têm o propósito único de melhorar substancialmente a qualidade da nossa pele. Logo, o preço é consideravelmente mais baixo. Pelo que, é muito fácil comprar produtos em excesso e atulhar o armário do wc.
Que estratégias estou a utilizar?
  1. Reconsiderar as minhas necessidades. O primeiro passo foi, e está a ser, a descoberta exata das minhas necessidades. Sendo que, a minha perceção do que necessito pode ser distorcida ao longo do tempo, uma vez que me foi muito fácil de acumular uma grande quantidade de produtos. E aí serão os produtos a ditar o que uso e não o contrário. Daí, ser importante descobrir as necessidades exatas da minha pele e cabelo antes de desatar a comprar só porque sim.
  2. Ler os ingredientes. Ler opiniões sobre um determinado produto é sempre uma mais valia na hora de optar por um produto em detrimento de outro. No entanto, o gosto é bastante subjetivo e pessoal, pelo que, o que funciona para um pode não funcionar para outro. Logo, é fundamental ler o rótulo de ingredientes e,  mesmo que o produto seja o santo graal para outra pessoa, se algum dos ingredientes não for do meu agrado, a melhor opção será descartar esse produto e procurar um que realmente preencha os meus requisitos e necessidades.
  3. Compreender o estado atual da minha pele e cabelo. Para ter uma perspetiva real do meu cabelo e pele há algum tempo que tenho vindo a usar cada vez menos produtos de forma a compreender as reais necessidades de cada um. A verdade é que, ao usar muitos produtos, alguns com efeitos bastante diferentes, rapidamente a minha pele e o cabelo mostram sinais de exaustão. Ao simplificar a rotina e a quantidade de produtos em uso. O resultado pode ser uma agradável surpresa. Algumas condições/ características que atribuía à minha pele e cabelo acabam por não se confirmar. E a consciencialização de estar a entupir pele e cabelo com ingredientes e produtos desnecessários é avassaladora e libertadora na mesma medida.
  4. Criar uma rotina realmente simples. Um passo fundamental que tenho vindo a praticar com regularidade é, apenas, utilizar os produtos e passos estritamente necessários para manter pele e cabelo saudáveis e higienizados. Para tal, os produtos que estão em lista de espera não se encontram na prateleira dos produtos que uso diariamente. A ansiedade para os terminar rapidamente desapareceu e a rotina de cuidados com a pele e cabelo tornou-se num momento especial em de exasperante.
  5. Procurar produtos multifunções. Uma rotina de cuidados de pele e cabelo com produtos específicos para suprir apenas uma necessidade apenas vão entupir o armário do wc e tornar a rotina diária mais complexa que o desejável. Uma boa alternativa é procurar produtos que reúnam ingredientes e propriedades que permitam ser utilizados com diferentes objetivos. Além de poupar tempo e espaço. O orçamento mensal também agradece.

fevereiro 12, 2017

A B C do Estilo | Verdade ou Mito?

Não se deve misturar acessórios de tom prateado e tom dourado.
 
MITO
 
 

 

 

 

 
Uma boa estratégia para bem combinar estes acessórios é usar acessórios diferentes nos diferentes tons coordenados com um acessório com os dois tons. O resultado é muito elegante e harmonioso.

fevereiro 11, 2017

A B C do Estilo | Dica de Coordenação


 

 

 

 



Para um resultado simples mas bastante elegante, opte por usar um acessório de grande impacto sobre um coordenado simples.

fevereiro 10, 2017

Valorização Pessoal | O minimalismo e a concretização de resoluções

A criação de novas resoluções a cada início de ano não é só uma tradição.  É uma excelente forma de recomeçar e entrar no novo ano cheia de entusiasmo.  No entanto, se procura viver de uma forma mais intencional pode considerar que criar novas resoluções é um pouco contraproducente. Se estiver determinada em evitar enredar-se no ciclo vicioso de perseguir objetivo atrás de objetivo e nunca se sentir inteiramente realizada pode realmente ser contraproducente. Por outro lado, se olhar para a sua lista de novas resoluções e sentir um entusiasmo constante para as concretizar de forma a viver com mais intenção, então está no bom caminho.
Estabelecer objetivos pode mesmo ser uma boa ferramenta para aprender a viver no momento, uma vez que se auto desafia a descobrir o que a faz feliz e o que acrescenta valor à sua vida.
Então, como estabelecer objetivos de uma perspetiva minimalista?
 
  1. Estabeleça, no máximo, 3 resoluções. Limitar-se a um número reduzido de objetivos permite-lhe certificar-se de que fez a escolha certa além de evitar comprometer-se em demasia. Note que o seu tempo e energia não são recursos renováveis pelo que é obrigatório que seja seletiva na forma como decide gastá-los. Estabeleça resoluções que farão uma diferença realmente positiva na sua vida e que a entusiasmem diariamente. Ainda que a assustem ligeiramente. As resoluções maiores são as que mais a motivarão a ultrapassar obstáculos e as que mais sentido trarão à sua vida.
  2. Saiba o que a motiva. Se a sua resolução for realmente grande, a sua motivação só dependerá do quanto quer que a resolução se concretize. Esta irá exigir-lhe tempo e esfoço e muitos serão os momentos em que só terá vontade de atirar a toalha ao chão e é aí que a sua resiliência será posta à prova. Uma boa ajuda será ter cada uma das resoluções escritas, assim como, todos os pequenos passos que terá de concretizar para chegar onde pretende. O importante é que se mantenha focada nos benefícios que de cada resolução irão advir e o quanto sairá prejudicada se não fizer nada para lutar pelo que quer.
  3. Foque-se no processo e não no resultado. Depois de estabelecer as suas resoluções, é importante descortinar como as pretende concretizar. E aqui, é importante focar-se no processo. Os pequenos passos que, todos os dias, a colocarão mais perto do que pretende alcançar. Daí advêm 3 grandes benefícios:
  • Aprenderá a viver no e o momento presente.
  • Eliminará a ponte entre o que deseja e o que realiza para concretizar cada resolução.
  • Reduzirá o stress ao aumentar o foco em todas as pequenas tarefas que a levarão à conquista de uma grande resolução.
Todos os bons hábitos e rotinas diárias criadas para a concretização de cada resolução irão permanecer presentes na sua memória por tempo indeterminado o que permite que a resolução seja fácil de manter.

fevereiro 09, 2017

A B C do Estilo | Lima Limão S.O.S.

Cenário: Na noite anterior os seus amigos convidaram-na para um jantar no novo restaurante da cidade e não tem tempo nem orçamento para ir às compras.
 
Como usar o seu guarda-roupa a seu favor sem parecer que perdeu horas a decidir o que vestir?
 
 
  • Opte por peças básicas que facilmente pode incrementar através do uso de acessórios.
  • Se desconhece o dress code do local opte por um look sóbrio. Nunca falha!
  • Arrisque na cor e material dos seus acessórios.
  • Use uma maquilhagem simples e natural .
  • Opte por usar o cabelo solto, se estiver saudável e bem tratado. Caso contrário, opte por um apanhado simples mas elegante como um coque ou um rabo de cavalo. Não se esqueça de esconder o elástico com um acessório próprio para esse efeito ou pode mesmo usar uma madeixa do seu cabelo.
Fique com alguns looks de inspiração...

 

 

 





Imagens daqui.

fevereiro 08, 2017

A B C do Estilo | Tudo o que precisa de saber na hora comprar um novo soutien

 
 
 
O soutien, a par com as calças de ganga, é dos artigos mais difíceis de comprar. Parece sempre que nunca assenta 100% na perfeição. Se a sua busca por um soutien que lhe assente na perfeição parece eterna. Este artigo é para si.
 
1. Confirme  se o número da sua copa é o correto. A principal razão para que a maioria das mulheres use o número de copa errado é o facto de não conhecerem  as suas medidas exatas. Fazem a sua escolha tendo em consideração a que julgam ser a copa certa. E não poderiam estar mais erradas. A verdade é que o número da copa não diz nada sobre o tamanho do seu peito. É um mero indicador da diferença entre o tamanho das suas costas e o tamanho do seu peito.  É o valor que se obtém desta diferença que dita o número de copa certo para si.
 
2. Confirme se o tamanho das suas costas é o certo. O número da copa não é o único que pode ser mal interpretado. Também são muitas as dúvidas que surgem na hora de saber qual é o seu tamanho de costas. Aqui, contrariamente ao exposto no ponto anterior, a tendência é recorrer a tamanhos acima do correto. Tal acontece porque muitas marcas criam a ideia que os tamanhos de costas mais pequenos apenas servem a mulheres mais magras. O que não poderia estar mais errado. Os tamanhos mais pequenos podem ser usados por qualquer mulher desde que a copa lhe confira um bom suporte do peito. Nada é pior para o seu peito do que usar um tamanho de costas errado. O soutien deve ajudar a distribuir o peso do peito de forma uniforme de maneira que as suas costas não sofram qualquer transtorno. E, para tal, é obrigatório que o seu soutien assente na perfeição na sua caixa torácica para que lhe dê todo o suporte necessário. Só assim evitará as fatídicas dores nos ombros e costas que só lhe causarão chatices.
 
Os segredos para encontrar o soutien perfeito
  1. Meça-se. Peça a colaboração da funcionária da loja de lingerie que frequenta para a correta medição do seu tamanho de costas e o número de copa.
  2. Informe-se. Antes de sair disparada a experimentar tudo o que é soutien invista algum tempo a informar-se sobre os modelos mais aconselhados ao formato do seu peito de forma a fazer uma escolha de modelo mais acertada.
  3. Experimente. Depois de já ter uma ideia clara do modelo e tamanho que procura invista o tempo necessário no veste e despe típico até encontrar o modelo certo. Note que, nem sempre, é à primeira que se acerta.
Quais as premissas a ter em consideração antes de comprar
  1. Fecho. Seja nas costas ou à frente, o fecho do soutien não deve ficar repuxado. O soutien deve ser apertado, sempre, no primeiro colchete. Assim, à medida que vai alargando, aperta-se nos fechos seguintes. Os soutiens que prendem à frente não aguentam tantas alterações de peso, como os que prendem nas costas.
  2. Copas. Os seios devem encher a copa, sem sair para fora em cima ou dos lados. Se o tecido ficar enrugado, é porque está grande ou o modelo não é o ideal. Se o peito "transbordar" é porque precisa de uma copa maior ou modelos que tapem mais o peito.
  3. Alças. As alças do soutien devem ficar direitas e esticadas, sem pendurar! Para um ótimo resultado, devem ser ajustadas sempre que se usa o soutien. Se as alças estiverem sempre a cair, mesmo que sejam ajustadas, deve ser comprada uma aplicação que as junte no certo.
  4. Suporte. Para que o soutien assente bem é importante que toda a zona de apoio faça um círculo perfeito em torno da caixa torácica. Para verificar se está muito largo, basta puxar o soutien para trás quando está fechado e se criar uma distância grande, também não é do tamanho correto.
  5. Centro-frente. O tecido da parte da frente do soutien deve, sempre, ficar encostado ao centro do peito.
  6. Aro metálico. O aro do soutien tem que assentar sempre por baixo do peito! Nunca por cima a entalar o peito. É muito importante que seja confortável logo quando se experimenta.
  

fevereiro 07, 2017

Consumo | Como se tornar numa profissional em boas compras

 
 
 
Fazer compras não é fácil. Fazer boas compras ainda menos.  Há que dizê-lo sem medos. É um facto que deambular por lojas e centros comerciais não é, de todo, difícil. Mas encontrar as peças certas. As peças que refletem o seu estilo pessoal e a sua personalidade e acrescentam valor ao seu guarda-roupa. É difícil. Muito difícil. E pode tornar uma simples busca por determinada peça básica numa tarefa hercúlea. Quando o objetivo é fazer boas compras é importante que se aceite o facto de ser quase impossível de, ao entrar numa primeira loja, encontrar imediatamente o que se procura. Os seus requisitos são específicos e assim deve ser a sua abordagem ao processo de compra. Como é obvio, tal só acontece se estiver realmente determinada em criar um bom guarda-roupa que reflita o seu estilo e personalidade. Se assim for, o melhor conselho que lhe posso dar é que pratique. De forma consistente e disciplinada. Só assim obterá o resultado que procura.
Mas, afinal o que é preciso para ser uma profissional em boas compras? A resposta é simples: preparação. Não acredita?  Então, este artigo é para si. Fique com algumas estratégias que a vão ajudar a simplificar todo o processo.
 
1. Defina o seu objetivo. Se tem como propósito a criação de um bom guarda-roupa, a maior parte da sua tomada de decisão deve ser feita antes de entrar em qualquer loja (física ou online). Isto porque o seu esforço deve recair na procura das peças que preenchem os seus requisitos e se adequam às suas necessidades. Sem uma ideia clara e objetiva do que procura o resultado será, no mínimo, exasperante. Uma vez que irá perder imenso tempo a tentar compreender se todas as peças com que se cruza se adequam às suas necessidades e se estas se enquadram no seu estilo pessoal e guarda-roupa. O mais provável é desistir a meio do processo e contentar-se com qualquer coisa.
Ter um objetivo bem definido irá funcionar como um filtro e irá permitir-lhe não se distrair com outras peças que não são, de todo, o que procura e apenas arruinarão o seu orçamento. Assim sendo, antes de sair para fazer compras, estabeleça os diferentes critérios que cada peça deve preencher de forma a fazer parte do seu guarda-roupa (corte, cor, material, preço).
 
2. Crie o seu guia de marcas personalizado. Uma peça essencial para fazer boas compras é ter um guia de marcas/lojas personalizado. Este deve conter  apenas marcas/lojas cujas peças reflitam o seu estilo pessoal. É muito provável que já tenha uma lista mental de todas as suas marcas favoritas, mas para que tire o maior proveito desta, é importante que invista algum tempo em transformar essa lista no seu guia. O primeiro passo é anotar as marcas cuja estética aprecia. Em seguida, deve familiarizar-se com cada uma das marcas e descobrir quais as peças de cada marca que se adequam ao seu estilo pessoal. Finalmente deve investir algum tempo em perceber o funcionamento da loja online de cada marca. Especialmente se preferir este método para fazer compras. Eis o que deve procurar descobrir:
  • A regularidade com que disponibilizam novas peças.
  • As peças que são edição limitada.
  • As peças que estão sempre disponíveis (os básicos da marca).
  • A política de troca e/ou devolução.
  • O método de pagamento e respetivos portes de envio.
De forma a criar um guia de marcas totalmente personalizado é importante que invista algum tempo a descobrir e frequentar diferentes lojas e a testar as respetivas lojas online de forma a tirar as suas próprias conclusões. Note que, todo e qualquer tempo que vai investir na criação do seu guia de marcas no momento presente, irá permitir que futuramente poupe esse tempo sempre que precisar de acrescentar alguma peça ao seu guarda-roupa, visto que já tem a sua cábula personalizada.
 
3. Conheça os seus tamanhos. Se não tem tempo ou paciência para estar constantemente a descobrir qual é o seu tamanho em diferentes marcas/lojas. Saber de antemão os seus tamanhos é uma excelente ajuda. Nomeadamente se, por norma, opta por realizar as suas compras online. Se souber com exatidão os seus tamanhos nas diferentes lojas, a possibilidade de errar no processo de encomenda reduz drasticamente.
 
4. Crie atalhos. Se o seu propósito é criar um guarda-roupa funcional e duradouro é obrigatório que preste atenção ao corte e material de cada peça que compra. Isto porque, infelizmente, é muito fácil errar. Cada um tem a sua opinião sobre diferentes cortes e materiais. E a verdade é que sem experimentar dificilmente saberá como determinada peça lhe vai assentar. A melhor forma de evitar perder tempo neste processo é estabelecer algumas regras.
O primeiro passo é analisar o seu guarda-roupa atual de forma a perceber quais os materiais e cortes que prefere, bem como os que melhor lhe assentam e refletem o seu estilo. É importante que seja bastante específica. Em seguida, e tal como no passo anterior, o objetivo é investir em experimentar o máximo de cortes e materiais de forma a descobrir novos favoritos. Para uma visão mais alargada pode aproveitar para experimentar peças que se encontrem abaixo ou ligeiramente acima do seu orçamento de forma a perceber as diferenças, além de lhe permitir sair da sua zona de conforto.
 
5. Não se foque apenas na perfeição. Apesar do objetivo ser encher o seu guarda-roupa de peças perfeitas. É importante ter a noção que, nem sempre, será possível. Uma vez que, por vezes, a peça que procura pode não existir. Pode estar indisponível no momento. E se apenas se focar em encontrar peças 100% perfeitas, o processo de criar um bom guarda-roupa, pode tornar-se impraticável. Pelo que, por vezes, deverá optar por peças quase perfeitas para que consiga ir riscando itens da sua lista de compras. Assim como é perfeitamente possível que, por vezes, opte por comprar uma peça que não se enquadra a 100% no seu guarda-roupa ideal. Sejamos sinceras, a vida não é a preto e branco. Há inúmeras nuances de cinzento. E não há nada de errado nisso. O importante é que mantenha presente que deve privilegiar a qualidade em detrimento da quantidade. Bem como, a procura das peças certas deve acrescentar valor ao seu estilo pessoal e guarda-roupa e não o contrário. 
 
 
O meu guia de marcas
 

fevereiro 05, 2017

A B C do Estilo | Dica de Coordenação

Para dar um maior destaque às suas peças básicas, opte por fazer sobreposições de peças.
O resultado será um coordenado repleto de informação ainda que o destaque recaia nos básicos.