outubro 15, 2016

Opinião | Máscara purificante de argila [The Body Shop]


 

 
 
Um dia decidi começar a reduzir os produtos de beleza que utilizo. E simplificar a minha rotina de cuidados com a pele. E cabelos e afins... Fiquei super orgulhosa com a decisão. E, uns dias depois, numa visita a uma The Body Shop para comprar um produto que realmente precisava. Prevariquei. Não resisti e trouxe um que não precisava. O da imagem. Um dos passos que decidi riscar da minha rotina de cuidados foi a utilização da máscara. Não sei bem explicar a razão do porquê. Talvez por ser um passo que muitas vezes me esqueço de fazer. Talvez por ainda não ter encontrado uma que realmente gosto.  Talvez por não ver grandes diferenças na minha pele com a sua utilização. A verdade é que, com a descoberta do minimalismo, uma das primeiras decisões tomadas foi reduzir o número de produtos de beleza em uso. Se bem que, depois de bem pensar sobre o tema. Descobri que não sou nada consumista como pensava ser. Mas isso é um tema para outro post.. Ora, visto que cometi o erro de comprar uma máscara que não precisava. O resultado só poderia ser um. Fazer o investimento render e gastar o produto até ao fim. E, mais uma vez, voltei a prevaricar. Não consegui terminar o produto. Apesar de o ter tentado por muito tempo...
  • A sua utilização não é das mais fáceis, visto que retirar a máscara da pele, por vezes se torna um processo bastante difícil.
  • Não diminuiu a criação de oleosidade na pele e/ou o aparecimento de borbulhas e imperfeições.
  • A sua textura dificulta um pouco a aplicação do produto.  Facilmente se aplica a mais ou a menos.
  • Apesar de não o ter terminado, é um produto que dura muito tempo.
  • A sua embalagem permite terminar real e completamente o produto.
  • O aroma é bastante fresco.

2 comentários:

Obrigada pela vossa visita/comentário!