dezembro 02, 2015

Valorização Pessoal | Como ter uma boa relação consigo e com o outro

A melhor relação que terá na sua vida é consigo. E esta é a relação que mais importa. Porque ao estar bem com a pessoa que é. Ao aceitar-se como alguém com defeitos e virtudes. A sua vida será muito mais feliz e preenchida. Não que a relação com o outro. Seja ela amorosa, pessoal ou profissional não tenha a sua importância. Que a tem. Mas está longe de ser tão importante como a relação que tem consigo próprio. Não ter uma boa relação consigo só pode resultar em más relações com os outros. E ter uma boa relação consigo não é assim tão difícil. Apenas pede algum esforço. Que rapidamente é recompensado. Acredite. E tudo o que precisa de fazer é:

  • Ter uma visão. O mais importante é ter uma visão para o que pretende de si e da vida. É importante ter os seus objetivos bem definidos. E saber de antemão o que não quer ou procura para si. Vai evitar muitos dissabores, acredite. É importante aceitar-se como é. E, acima de tudo, respeitar-se. Ao nível das relações emocionais (não têm de ser obrigatoriamente amorosas!) é importante que tenha uma visão comum com a do seu parceiro/a. É importante que ambos partilhem a mesma visão sobre a forma como a vida deve ser vivida. Pode parecer extremo mas quando isso não acontece. Acaba por ser como uma nuvem negra que, constantemente, paira sobre as vossas cabeças. E aqui é importante compreender que não podemos nem devemos tentar mudar o outro. Até porque isso é impossível. Devemos, isso sim, aceitar o outro como ele é e respeitá-lo como o indivíduo que é. E, caso se aperceba que não partilham dos mesmos valores e isso é motivo suficiente para a relação não funcionar. O que deve fazer é muito simples. Não se comprometa. Se à partida sabe que a relação não "tem pernas para andar". Não faça esse compromisso. Sob pena de se magoar seriamente. A si e ao outro.
  • Amar incondicionalmente. É imperativo que goste de si sem qualquer condição. E que goste de cada um dos seus defeitos de igual maneira. Como se de uma virtude se tratasse. É importante que se aceite como é. Não se molde a ninguém. Nem coloque a sua felicidade nas mãos de ninguém. Cada um de nós é suficiente. E o outro apenas vai acrescentar. O amor verdadeiro começa em si e por si. Se tiver amor próprio não tolerará qualquer abuso por parte do outro. Seja ele verbal, físico ou psicológico. Venha ele de um familiar, um amigo, parceiro ou estranho. Ao nível da relação emocionais, o processo é exatamente o mesmo. Tem de gostar do outro sem qualquer condição, aceitá-lo como ele é e respeitá-lo na sua individualidade. O outro não é a sua melhor metade ou o seu complemento. Cada um é inteiro. E a relação com o outro serve apenas para se tornar a si e ao outro independentes e individuais. No sentido em que não se coloca a felicidade própria nas mãos de ninguém. A relação com o outro deve apenas servir como coadjuvante no crescimento pessoal de cada um. Aqui, importa também referir que é impossível moldar o outro à imagem da pessoa que procura para si. Deve, isso sim, procurar tal pessoa. Outro fator importante é não se comprometer com o nunca e o sempre. A vida muda e não sabemos o que vai acontecer em seguida. O melhor a fazer é dar o seu melhor todos os dias e aproveitar ao máximo enquanto dura. Assim como deve ver o outro como uma inspiração para ser mais e melhor. Para construir a sua melhor versão. Veja a outra pessoa como um desafio constante para ser uma melhor pessoa.
  • Fazer atividades em conjunto. A melhor forma de se conhecer a si e ao outro é ao realizar atividades. Individualmente ou em conjunto. É importante desfrutar do chamado tempo de qualidade. Consigo e com o outro.  Partilhar experiências, momentos íntimos e emoções. Nomeadamente os bons momentos. E focar-se neles. Interagir consigo e com o outro e mostrar afeição é fundamental para ter uma boa relação. Aliado ao respeito próprio e pelo outro. Respeite-se a si e ao outro na medida em que quer ser respeitado. E os resultados virão.
  • Fazer o esforço. Ter cuidado consigo e com a sua imagem diariamente. É o suficiente para manter a atração de si para si e para o outro. O esforço deve ser feito por si e pelo outro. Esforce-se por ser alguém pelo qual se sentiria atraído/a. E mantenha a chama acesa. Até pequenos gestos. Sejam eles pequenas surpresas ou ações inesperadas. O que conta é a intenção e o esforço para manter o interesse por parte do outro. Seja espontâneo/a. Faça disso um hábito.
  • Ter conversas duras. É importante ser verdadeiro consigo e com o outro. E esclarecer sempre tudo o que não está bem e o que o/a magoa. Seja uma atitude, um comportamento, um gesto ou uma palavra. Faça-o no momento e esclareça todo e qualquer mal entendido que possa existir. Converse e esclareça tudo até que ambos estejam felizes com o resultado. Não se afaste da confrontação, de forma alguma nem sob qualquer desculpa. É importante trabalhar o menos bom da relação consigo e com o outro até chegar ao bom. É importante que não exista nenhum assunto por resolver. Se assim for, estará constantemente presente em qualquer confrontação que possa existir. Partilhe o seu verdadeiro eu com o outro. Sejam o melhor amigo um do outro.  E aceitem-se mutuamente.
Seja feliz! Sempre! E, acima de tudo!

1 comentário:

  1. Não poderia estar mais de acordo!
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Obrigada pela vossa visita/comentário!