outubro 26, 2015

Valorização Pessoal | Mudar de imagem é mudar de vida?

A resposta é sim. Invariavelmente sim. Fazer um esforço para nos apresentarmos bem e ter uma boa imagem. Ajuda-nos a destacar na multidão. E não só. Ter cuidado com a nossa imagem e a nossa apresentação. É, acima de tudo, mostrar respeito por nós próprias. E pelo nosso corpo. Porque, verdade seja dita, a partir do momento em que começamos a ter respeito por nós e pelo nosso corpo. O cuidado com a imagem e a apresentação torna-se uma prioridade. Não podemos, no entanto, esquecer-nos que uma boa imagem é nada mais que 50% roupa e maquilhagem. E 50% confiança e atitude. Isto porque, a nossa imagem afeta o nosso estado mental e a nossa perceção de nós próprios. Do mundo. E dos outros. E dos outros e do mundo, em relação a nós. A imagem fala. Sempre.
Se tomarmos a decisão de não termos cuidado com a nossa imagem e apresentação. Somos livres para o fazer. Mas sempre com a consciência de que estamos a ser observados e julgados. Sempre. A verdade é que os outros nos respeitam na proporção em nos respeitamos a nós próprios. E o respeito que temos por nós próprios reflete-se na nossa aparência. E não falo apenas da roupa. É a alimentação e o exercício. Reflexo que respeitamos o nosso corpo. Todas as atitudes que tomamos para termos uma boa aparência. Mostram o respeito que temos por nós. Ao cuidarmos o exterior. Cuidamos, automaticamente o interior. Tendo sempre em consideração que o mais importante é que o cuidado com a aparência e a imagem seja divertido. E que seja sempre com o foco em nós e por nós. E porque nos respeitamos. Cuidar da nossa imagem não resolve todos os nossos problemas. Mas ajuda-nos a lidar melhor com eles.
 


 
Facilidade. Não é palavra que defina a minha vida. De todo. E até há bem pouco tempo atrás permitia que dificuldade fosse o meu nome do meio. Permitia. É essa a palavra certa. Durante alguns anos deixei que o pessimismo e a negatividade fossem tomando conta de mim. E fui deixando de acreditar (tanto) no meu valor e nas minhas capacidades. Ao ponto de ser tóxica para comigo mesmo. Uma má influência para mim própria. E um bloqueio autêntico. (Obrigada A. pelo enorme "abre olhos"!!!) Acabei por me tornar na minha maior inimiga. E fui-me desvalorizando a pouco e pouco. A todos os níveis. Imagem incluída. Comecei a contentar-me com pouco. E a não ter particular atenção com alguns aspetos. Que antes me diziam tanto. Como em tudo na vida. Apenas mudamos quando nos sentimos preparadas para a mudança. A minha hora chegou. Estou a aprender a ser (novamente) mais positiva. A ver sempre o copo meio cheio. E a sorrir com real vontade. Estou a acreditar realmente nas minhas capacidades e no meu valor. Estou a criar objetivos que me entusiasmam. E me ajudam a acordar diariamente com um sorriso no rosto. Estou a aprender a aceitar que as minhas escolhas me definem. Bem como as minhas ações. E se quero ser uma pessoa melhor. Tenho que ter consciência que o real crescimento vem com aceitação. Ao invés da negação.
 

 

 

 
 

Há algum tempo que venho a trabalhar a minha imagem. A cuidar-me. Porque sou a melhor montra para a minha empresa. E o melhor exemplo para as minhas clientes. E é aqui que peco. Porque não estava a ter assim tanto cuidado comigo. Interior e exteriormente. E porquê? Porque se realço a importância de mantermos as extremidades (cabelos, mãos e pés) muito bem cuidados. Não posso ser desleixada com o cuidado com o meu cabelo. Ora, se sei que o meu cabelo apenas está saudável com produtos de qualidade. Então tenho que deixar de usar produtos baratos e de fraca qualidade. Se incentivo as minhas clientes a manter as unhas bem arranjadas. Então tenho que fazer o mesmo. Até porque as minhas unhas são lindas e não exigem cuidados de maior. Basta um toque de cor e a diferença é (altamente) notória. Se prefiro a qualidade à quantidade. Então tenho mesmo que apenas comprar peças de roupa de qualidade. Peças com as quais me sinta confortável. Mas que reflitam a minha feminilidade e vaidade. Porque, apesar de não parecer. Estão cá. Se digo que estou a criar o meu estilo próprio. Tenho que, literalmente, pôr mãos à obra. Porque a teoria está bem estudada. Se a alimentação que pratico não me satisfaz totalmente. A solução é alterar o que for necessário. Se o exercício físico me faz falta. Ser assídua na sua prática é o melhor que posso fazer por mim. E se criar objetivos me ajudam a manter o foco. Então venham eles.
 

 
 

 
 
 
Isto tudo para dizer que o blog (assim como eu) sofreu algumas alterações. E que daqui em diante apenas vou partilhar conteúdo interessante. Não que considere que tudo o que já partilhei não o é. Até porque nem tudo é mau e vai continuar a figurar por aqui.  Simplesmente já não me identifico com muito do que partilhei. E por fazer parte da minha história. E por não me envergonhar dele. Não o irei apagar. Na esperança que seja inspirador para alguém que esteja desse lado. Não prometo publicações diárias. Precisamente por esse motivo.

Isto tudo para dizer que estou a trabalhar para a minha melhor imagem. E vou partilhar o percurso convosco. Porque estou a trabalhar para que a Lima Limão seja o meu melhor reflexo. E que as pessoas que cruzam o meu caminho. E para que as minhas clientes vejam em mim uma boa influência. E um bom vetor para a sua mudança. Para que percebam os benefícios que a Consultoria de Imagem traz ao nosso dia a dia. Para que percebam os benefícios de trabalharmos a nossa autoestima. Para que eu seja um bom exemplo. E o meu melhor cartão de vida. E que o meu sucesso.  Seja o vosso sucesso. Vamos a isso?
 

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pela vossa visita/comentário!