outubro 30, 2015

Guest Blogging | A elegância tem um preço?

 


"Se há verdades absolutas na moda, uma delas será certamente: "O dinheiro não compra bom gosto!".
Não quer isto dizer que ache que para se andar bem vestido temos de gastar rios de dinheiro (basta passar os olhos por alguns Fashion Blogs para ver isso mesmo!), mas também ter dinheiro e/ou acesso fácil a novidades nem sempre quer dizer que se ande bem vestido(a). Só temos de abrir uma qualquer revista de fofocas, no dia a seguir a uma qualquer gala, para vermos isso mesmo.
 
É óbvio que a qualidade tem um preço, mas nem tudo o que é caro é de qualidade. Há peças bem em conta e de melhor qualidade que mais caras. Há que saber avaliar as peças, perder tempo a senti-las, a experimentá-las, a perceber como deverão ser tratadas.
 
Eu não sou nenhum guru da moda, nem pretendo sê-lo, nem tampouco sou grande seguidora de tendências (sou até bastante básica no vestir!) mas como qualquer mulher gosto de ver montras, comprar roupa e tenho olhos na cara.
 
Creio que acima de tudo temos de ter bom senso na hora de escolher a roupa que vamos vestir. Temos de ser nós a vestir a roupa e não o contrário. Conhecer bem os nossos gostos, aquilo que mais nos favorece...e se vemos que não temos grande apetência para tal, recorremos à ajuda de profissionais.
 
O bom gosto é algo que nasce connosco, mas também é algo que se treina, que se educa. E hoje em dia, com acesso ilimitado à informação que a Internet nos providencia, esta tarefa torna-se mais fácil.
 
Quanto a mim, elegância tem dois sinónimos: simplicidade e qualidade.
 
A aposta nos básicos de qualidade é uma aposta ganha e aqui a opção de compra certa são os Outlets. Deixar as tendências para os apontamentos, para os acessórios, vernizes, etc. E aí podemos arrojar, arriscar e ainda poupar algum (senão muito!) dinheiro.
 
Já a simplicidade conseguimos em seguir o lema "Less is more." Nada de acessórios em demasia.  Nada de lantejoulas e brilhos em demasia. Perfume em demasia. Muitas cores e padrões no mesmo outfit. Sempre de banhinho tomado, pele hidratada e um perfume suave.
 
Sejam criativos, arrojados no vestir, mas apostem sempre numa base simples. Às vezes basta uma peça com textura, para dar um twist ao outfit. Sem cair no exagero e no ridículo.
 
P. S. : Um segredo - Uma mala, uns sapatos ou um colar fazem maravilhas por um outfit."
 
Maria

outubro 28, 2015

Opinião | Elixir Total [Colgate]



A higiene oral é bastante importante para uma boa saúde oral. Já todos sabemos. E, também aqui, todos os cuidados são poucos. Há muito que comecei a usar elixires orais. E gosto bastante da limpeza extra que proporcionam. E da sensação de frescura que perdura durante algum tempo após a utilização deste. Por norma vou alternando o uso de elixires de marca branca com os de marca. Uma vez que é um produto que termina relativamente rápido e, muitas vezes, um pouco caro. Aproveito sempre que há promoções para optar pelos de marca. E desde que comecei a usar elixires sem álcool na sua composição. Que não me vejo mais a voltar aos que usam álcool. Este que mostro na imagem foi comprado em promoção. Ficou a metade do preço. E como apenas tinha que o usar de manhã e à noite durou cerca de 2 semanas. No geral gostei. Mas houve um ou outro aspeto que não me agradaram particularmente. Ora atentem:
  • Ajuda a eliminar eventuais manchas amarelas dos dentes.
  • Como não tem álcool não agride as gengivas nem a boca no geral.
  • A tampa doseadora não é muito prática de utilizar.
  • Não deixa uma sensação de frescura tão intensa como acontece com outros elixires.
  • É um pouco caro. O preço normal ronda os 7€.
Não digo que não o voltarei a usar. Mas antes quero experimentar outras opções da marca. Porque acredito que existirá algum que me encherá melhor as medidas.
Alguém por aí já usou? Gostaram? Contem-me tudo!

outubro 27, 2015

A B C do Estilo | Como conseguir o Estilo Parisiense?

1. Use roupas simples que valorizem a sua aparência. Se prestar atenção, em Paris, as cores que mais se veem nas ruas são: o preto, o azul marinho e o cinzento. Estas cores são neutras, criam a ilusão de uma silhueta mais esguia e favorecem qualquer mulher. Logo, para transportar o estilo parisiense para o seu guarda-roupa, apostar nestas cores é uma boa opção. Deve, ainda, apostar em:
  • Saia lápis ou saia em linha A.  No inverno opte por cores sólidas e neutras.  Por outro lado, no verão opte por cores claras ou padrões florais delicados.
  • Calças skinny em cores escuras. Podem ser compridas ou capri.
  • Calças de ganga de corte direito e sem lavagens ou rasgões.
  • Camisas com corte feminino em cores como branco ou bege. É importante que assentem na perfeição.
  • Vestido preto básico para uma qualquer ocasião mais formal. Se preferir pode optar por um modelo noutra cor, tendo em consideração que deve ser num tom escuro que permita criar a ilusão de uma silhueta mais esguia.
 

 

 

 

 
 
2. Opte por calçado discreto mas com um toque diferente. Qualquer modelo de calçado é bem recebido neste estilo. No entanto, tenha em consideração que:
  • Se, por norma, caminha muito durante o dia e /ou não gosta ou não consegue equilibrar-se muito bem nos saltos altos, uma boa opção é apostar num bom par de sapatilhas ou botas clássicas. Vão bem com estilo pretendido e adequam-se a diversas ocasiões.
 

 

 

 

 
 
3. Use casacos cintados e que assentem na perfeição. Qualquer modelo de casaco com a cintura bem definida e corte feminino será uma boa opção. Tenha, sempre, o cuidado de não ostentar marcas de uma forma exagerada. Use e abuse de casacos de malha. Combinam muito bem com saia, vestido ou calças e podem ser usados em qualquer estação do ano ou ocasião.
 



 

 
 
 
4. Minimize o uso de acessórios. Evite a todo o custo exagerar na quantidade de acessórios que utiliza. Opte por peças simples mas marcantes e que elevem o coordenado (como um bom lenço, um bom par de óculos de sol ou uma mala num modelo sofisticado).
 
 
 

 

 

 
 
 
5. Não abuse na maquilhagem. Uma maquilhagem simples, leve e natural é sempre a melhor opção. Use apenas os produtos necessários para conferir ao rosto um ar mais cuidado e saudável.
 
Se a inspiração é coisa que falha na hora de pôr todas as dicas em prática. Inspire-se nas fotos que partilhei. A Mimi é o exemplo perfeito de um guarda roupa bem ao estilo parisiense. É simples, versátil, funcional e o seu melhor reflexo enquanto a mulher confiante que é. É certo que o bom gosto nasce com a pessoa. Mas também é uma grande verdade que pode ser trabalhado. É tudo uma questão de querer e, acima de tudo, não ter pressa. Criar um estilo demora o seu tempo. E, como diz o velho ditado, a pressa é inimiga da perfeição!
 
 
Dicas extra:
  • A atitude é essencial. Mostre-se e apresente-se como a mulher confiante que é. Sorria muito e seja cordial na interação com os outros.
  • Não abuse no perfume.
  • Vista-se de acordo com a sua idade e orgulhe-se dela.
  • Se tapa em cima destapa em baixo e vice-versa. Não desperte demasiada atenção para si ao mostrar demasiado o decote e as pernas no mesmo coordenado.
  • Opte pela qualidade em detrimento da quantidade. Menos é sempre mais.

outubro 26, 2015

Valorização Pessoal | Mudar de imagem é mudar de vida?

A resposta é sim. Invariavelmente sim. Fazer um esforço para nos apresentarmos bem e ter uma boa imagem. Ajuda-nos a destacar na multidão. E não só. Ter cuidado com a nossa imagem e a nossa apresentação. É, acima de tudo, mostrar respeito por nós próprias. E pelo nosso corpo. Porque, verdade seja dita, a partir do momento em que começamos a ter respeito por nós e pelo nosso corpo. O cuidado com a imagem e a apresentação torna-se uma prioridade. Não podemos, no entanto, esquecer-nos que uma boa imagem é nada mais que 50% roupa e maquilhagem. E 50% confiança e atitude. Isto porque, a nossa imagem afeta o nosso estado mental e a nossa perceção de nós próprios. Do mundo. E dos outros. E dos outros e do mundo, em relação a nós. A imagem fala. Sempre.
Se tomarmos a decisão de não termos cuidado com a nossa imagem e apresentação. Somos livres para o fazer. Mas sempre com a consciência de que estamos a ser observados e julgados. Sempre. A verdade é que os outros nos respeitam na proporção em nos respeitamos a nós próprios. E o respeito que temos por nós próprios reflete-se na nossa aparência. E não falo apenas da roupa. É a alimentação e o exercício. Reflexo que respeitamos o nosso corpo. Todas as atitudes que tomamos para termos uma boa aparência. Mostram o respeito que temos por nós. Ao cuidarmos o exterior. Cuidamos, automaticamente o interior. Tendo sempre em consideração que o mais importante é que o cuidado com a aparência e a imagem seja divertido. E que seja sempre com o foco em nós e por nós. E porque nos respeitamos. Cuidar da nossa imagem não resolve todos os nossos problemas. Mas ajuda-nos a lidar melhor com eles.
 


 
Facilidade. Não é palavra que defina a minha vida. De todo. E até há bem pouco tempo atrás permitia que dificuldade fosse o meu nome do meio. Permitia. É essa a palavra certa. Durante alguns anos deixei que o pessimismo e a negatividade fossem tomando conta de mim. E fui deixando de acreditar (tanto) no meu valor e nas minhas capacidades. Ao ponto de ser tóxica para comigo mesmo. Uma má influência para mim própria. E um bloqueio autêntico. (Obrigada A. pelo enorme "abre olhos"!!!) Acabei por me tornar na minha maior inimiga. E fui-me desvalorizando a pouco e pouco. A todos os níveis. Imagem incluída. Comecei a contentar-me com pouco. E a não ter particular atenção com alguns aspetos. Que antes me diziam tanto. Como em tudo na vida. Apenas mudamos quando nos sentimos preparadas para a mudança. A minha hora chegou. Estou a aprender a ser (novamente) mais positiva. A ver sempre o copo meio cheio. E a sorrir com real vontade. Estou a acreditar realmente nas minhas capacidades e no meu valor. Estou a criar objetivos que me entusiasmam. E me ajudam a acordar diariamente com um sorriso no rosto. Estou a aprender a aceitar que as minhas escolhas me definem. Bem como as minhas ações. E se quero ser uma pessoa melhor. Tenho que ter consciência que o real crescimento vem com aceitação. Ao invés da negação.
 

 

 

 
 

Há algum tempo que venho a trabalhar a minha imagem. A cuidar-me. Porque sou a melhor montra para a minha empresa. E o melhor exemplo para as minhas clientes. E é aqui que peco. Porque não estava a ter assim tanto cuidado comigo. Interior e exteriormente. E porquê? Porque se realço a importância de mantermos as extremidades (cabelos, mãos e pés) muito bem cuidados. Não posso ser desleixada com o cuidado com o meu cabelo. Ora, se sei que o meu cabelo apenas está saudável com produtos de qualidade. Então tenho que deixar de usar produtos baratos e de fraca qualidade. Se incentivo as minhas clientes a manter as unhas bem arranjadas. Então tenho que fazer o mesmo. Até porque as minhas unhas são lindas e não exigem cuidados de maior. Basta um toque de cor e a diferença é (altamente) notória. Se prefiro a qualidade à quantidade. Então tenho mesmo que apenas comprar peças de roupa de qualidade. Peças com as quais me sinta confortável. Mas que reflitam a minha feminilidade e vaidade. Porque, apesar de não parecer. Estão cá. Se digo que estou a criar o meu estilo próprio. Tenho que, literalmente, pôr mãos à obra. Porque a teoria está bem estudada. Se a alimentação que pratico não me satisfaz totalmente. A solução é alterar o que for necessário. Se o exercício físico me faz falta. Ser assídua na sua prática é o melhor que posso fazer por mim. E se criar objetivos me ajudam a manter o foco. Então venham eles.
 

 
 

 
 
 
Isto tudo para dizer que o blog (assim como eu) sofreu algumas alterações. E que daqui em diante apenas vou partilhar conteúdo interessante. Não que considere que tudo o que já partilhei não o é. Até porque nem tudo é mau e vai continuar a figurar por aqui.  Simplesmente já não me identifico com muito do que partilhei. E por fazer parte da minha história. E por não me envergonhar dele. Não o irei apagar. Na esperança que seja inspirador para alguém que esteja desse lado. Não prometo publicações diárias. Precisamente por esse motivo.

Isto tudo para dizer que estou a trabalhar para a minha melhor imagem. E vou partilhar o percurso convosco. Porque estou a trabalhar para que a Lima Limão seja o meu melhor reflexo. E que as pessoas que cruzam o meu caminho. E para que as minhas clientes vejam em mim uma boa influência. E um bom vetor para a sua mudança. Para que percebam os benefícios que a Consultoria de Imagem traz ao nosso dia a dia. Para que percebam os benefícios de trabalharmos a nossa autoestima. Para que eu seja um bom exemplo. E o meu melhor cartão de vida. E que o meu sucesso.  Seja o vosso sucesso. Vamos a isso?
 

 

outubro 14, 2015

Opinião | Venus Breeze [Gillette]



A depilação pode ser um verdadeiro tormento para muitas mulheres. Principalmente no verão. Altura em que queremos estar sempre prontas para uma ida à praia com os amigos ou uma saída com a família ou o namorado. São muitos os métodos de depilação disponíveis. Mas a verdade é que são os mais rápidos e indolores que mais sucesso fazem durante a época balnear. O meu método de depilação é a cera mas o mesmo não acontece com a minha irmã. E foi ela quem testou esta lâmina. E é dela a opinião que aqui partilho. A pele da minha irmã é muito sensível e atópica. Pelo que são poucos os métodos de depilação que esta tolera. Depois de tanto ouvir falar desta lâmina. Este verão pôs mãos à obra e decidiu experimentar. E gostou tanto que me desafiou a partilhar a sua opinião por aqui. E, sem mais demoras vamos ao que ela tem a dizer sobre esta pequena maravilha:
  • É muito fácil de montar e de utilizar.
  • É muito suave, logo a pele não repuxa durante a utilização.
  • Basta uma passagem da lâmina para uma boa depilação.
  • Não magoa nem faz feridas ou cortes.
  • Muito fácil de limpar após a utilização.
  • A tampa dá imenso jeito para aumentar o tempo de vida da lâmina.
  • Ter cabeças recarregáveis é uma mais valia, uma vez que permite poupar já que apenas se troca a lâmina quando termina o seu tempo de vida.
Por isso meninas, se têm o hábito de fazer a depilação com lâminas. Parece-me que esta será uma boa aposta. Há por aí quem a use? Opiniões? Quero saber tudo!!! :)

outubro 12, 2015

A B C do Estilo | Como usar padrão animal sem cair no exagero

Padrão. Há quem adore. Há quem deteste. Até há bem pouco tempo não era dada ao uso de padrão. E ainda estou a aprender a gostar. Nomeadamente o padrão animal. É um padrão difícil de se gostar. E de coordenar. Sem cair no exagero. É um padrão forte. E que por si só não precisa de grandes adornos. Eu não uso padrão animal. Não me identifico. No entanto, é raro o dia em que não nos cruzamos com alguém que goste. E que o use. E aqui é preciso ter muita atenção. Usar peças com padrão animal. Exige o uso de pouca cor. Assim como a atenção de usar apenas uma peça com padrão animal. Sob pena de se criar um coordenado com demasiada informação. E em vez de nos fazermos notar pela positiva. Conseguimos fazer o contrário.


 

 

 

 

A melhor opção será sempre optar por um lenço. Um par de sapatos. Uma mala. Ou um casaco. Assim conferimos ao coordenado aquele toque extra. A irreverência pretendida. A chamada de atenção. Outra boa opção será coordenado o padrão animal com cores neutras. Ou cores que se encontrem na mesma paleta do padrão. Se quisermos arrojar um pouco mais.  E coordenar dois padrões diferentes.  Temos de ter o cuidado de coordenar padrões com a mesma paleta cromática. Sob pena de criarmos um coordenado com demasiada informação. E que apenas transmitirá a mensagem que nos esforçamos demasiado para nos fazermos notar.

 

 

 

 

 

As mais corajosas podem coordenar padrões com cores contrastantes. Tendo, apenas, em atenção que um dos padrões conjuga as diferentes cores presentes no look. E o outro padrão tem um papel contrastante. O importante é encontrar uma harmonia. E criar coordenados atuais. Femininos. E elegantes. Sim, o excesso de padrão num coordenado. Ou a má conjugação de diferentes padrões. Pode ser desastrosa. E arruinar por completo a nossa imagem.
Uma boa inspiração é a Wendy. Usa padrão animal como poucas. Sem cair na vulgaridade. Sem exageros. E sem perder a sua feminilidade. Apesar de não usar padrão animal. Tenho que admitir que se conseguem coordenados cheios de pinta!!!

 

 

 

 

 

São fãs do padrão?
Costumam usar? Contem-me tudo!!! :)

outubro 08, 2015

A B C do Estilo | A inspiração como coadjuvante da criação do nosso estilo

Todos temos um estilo. Seja ele qual for. E a verdade é que não surge do nada. Nem é imutável. É, isso sim. uma conjunto de vivências. De inspirações. De gostos. O nosso estilo altera-se com o tempo. Com o crescimento. O nosso crescimento. É importante não esquecermos o nosso estilo de vida. E, acima de tudo, tem de ser um reflexo da nossa personalidade. Sempre. É requisito obrigatório. Mesmo.
O meu estilo não é exceção. E com o tempo tem vindo a sofrer alterações. Muitas mesmo. E, se durante muito tempo, fui uma ávida seguidora de tendências. Hoje não é isso que acontece. De todo. Cada vez sou mais avessa a "seguir" tendências. Porque muitas vezes não reflete a nossa personalidade. Ou estilo de vida. Porque muitas vezes não se adequa à vida profissional. E por aí em diante. Não quero com isto dizer que não sigo tendências. Até porque a minha profissão a isso me obrigo. Apenas opto por não as usar. De forma consistente. Opto, por outro lado, por procurar inspiração nas tendências. Porque criar um estilo pede inspiração. Pede investimento. Monetário e não só. Pede tempo. Muito tempo. Para nos conhecermos. E aos nossos gostos. Para termos certezas. Do que queremos. E da imagem que queremos transmitir. Cada vez mais é importante que o nosso estilo seja o reflexo da nossa personalidade. Porque não somos todos iguais. Não temos todos os mesmo gostos. Então, porque temos que nos vestir todos de forma igual?
Em processo de (re)criação do meu próprio estilo. Todos os dias dou por mim a procurar inspiração. Em revistas. Em livros. Em blogues. E o que não falta por aí são blogues de moda. Ora, o primeiro passo é encontrar um ou vários blogues. Que, para nós, funcionem como inspiração. E cujas propostas estejam de acordo com os nossos gostos. Depois? Depois é simples. Basta encontrar motivos para nos inspirarmos. E que nos ajudem a construir o nosso próprio estilo. Sem sermos uma fotocópia do nosso objeto de inspiração. Como? É ainda mais simples...Ora espreitem...
As fotos são de uma das minhas bloggers de eleição. A Silvia. Identifico-me bastante com o estilo dela. E os meus gostos vão de encontro aos dela.



O "meu" look favorito para o dia a dia.
Sou simples no vestir. Muito simples. Sem deixar de lado a procura por uma imagem elegante. Sem parecer demasiado forçada. Não há nada pior que darmos a sensação que nos esforçamos para parecermos naturais. Ou o somos. Ou não. Este look apesar de simples. É muito bonito. Confortável. E bastante feminino. Além de bastante atual. E recorre a um dos meus padrões favoritos. O navy. É completamente a minha cara.


 
Um toque de cor faz maravilhas em qualquer coordenado!
 Não gosto de misturar muitas cores num coordenado. Por vezes resulta em excesso de informação. E se queremos fazer-nos notar. Que seja pela positiva. Sempre! Uma forma de não corrermos tal risco é escolher no máximo 3 cores que se conjuguem entre si e resultem numa imagem harmoniosa. Optar por calçado numa cor contrastante é uma boa forma de mostrarmos a nossa personalidade. Não nos excedermos no número de cores a usar não significa que não podemos usar peças com padrão. Ou textura. Por vezes são o suficiente para dar um toque feminino a qualquer coordenado.



Nada como conjugar cores pastel para um look bastante feminino!

Se temos dificuldade em conjugar cores. Estudar a forma como os outros o fazem é a melhor alternativa. É o suficiente para perceber como acrescentar aquele toque diferente ao look. Para aprender quais as cores que conjugam melhor entre si. Quais as combinações de cores que mais gostamos. Quais as cores que melhor combinam com a nossa paleta cromática. Descobrir quais são as cores da estação. E como não cair no exagero.




O acessório certo faz toda a diferença!


Sou apaixonada por lenços. Adoro. E uso bastante. São um dos meus acessórios favoritos. E nas alturas de transição são imprescindíveis no meu guarda-roupa. Logo gosto de procurar novas formas de os usar. E coordenar. E, sejamos sinceras, por vezes um lenço. Ou outro acessório fazem a diferença. Entre um look monótono. E mais do mesmo. E Aquele look.
 
Não é assim tão difícil criar o nosso próprio estilo. Pede apenas tempo. E, acima de tudo, vontade.