janeiro 21, 2017

Beleza | Desafio Beleza Sem Desperdício

Até há alguns anos atrás, a minha rotina de beleza era enorme e o armário do wc estava constantemente repleto de produtos de beleza (gel de banho, hidratantes de corpo, pés e mãos, champôs...). E apesar de usar muitos produtos diariamente. Bem vistas as coisas, apenas usava uma pequena percentagem de produtos, comparado com os que tinha sempre guardados no armário. Produtos esses que comprava por impulso. Porque tinha muita curiosidade em experimentar. Porque se encontravam em promoção... O resultado foi um enorme rombo no orçamento e em energia. A verdade é que sempre que parava para olhar para o armário cheio de produtos a ansiedade instalava-se. Isto porque apesar de ir gastando os produtos. Como não parava de os comprar. Cada vez havia mais produtos para gastar.
Com a decisão de aderir ao minimalismo. A minha rotina de beleza sofreu uma mudança radical. Arrisco-me até a dizer que foi o excesso de produtos de beleza que me levou a interessar por esta corrente de pensamento. Talvez por ter começado a prestar mais e melhor atenção ao que  e quanto comprava. Porque comprava. E como se enquadrava na minha rotina de beleza.
E é com grande orgulho que afirmo. Que hoje são muito menos os produtos que compõem a minha rotina de beleza. Isto porque tenho vindo a trabalhar para criar uma rotina de beleza mais simples, rápida e eficaz, mas também mais personalizada e em sintonia com o meu estilo de vida.
Durante o ano passado decidi começar a guardar as embalagens dos produtos que iam terminando cá por casa de forma a compreender quais as alterações necessárias para melhorar a minha rotina de beleza. Comecei por terminar tudo o que tinha antes de ir a correr comprar novos produtos.
Mas, como não há bela sem senão. Continuei a ter uma grande dificuldade em controlar as compras por impulso. Cortesia da minha paixão por testar tudo o que é produto de beleza. E era ver produtos a entrar para o armário com a frequência não desejada...
 
Pelo que este ano decidi dar mais um passo no sentido de simplificar a minha rotina de beleza...
E assim surgiu o Desafio Beleza Sem Desperdício. O propósito deste desafio é simplificar e criar uma beleza de rotina de beleza funcional e personalizada às minhas necessidades e objetivos.. A minha rotina de beleza inclui o rosto, o corpo e o cabelo. Uma vez que a minha rotina de rosto já me satisfaz. Este desafio terá uma maior incidência nos cuidados de corpo e cabelo. Se bem que, se durante o desafio sentir essa necessidade,  farei os devidos ajustes também na rotina de rosto.
 
Para que o desafio corra como esperado estou a seguir 5 passos essenciais:
1. Analisar as minhas necessidades. Aqui, o objetivo é simples. Escrever uma lista com todos os produtos que uso diária e semanalmente de forma a perceber quais uso por necessidade e quais uso por vaidade. E, orgulhosamente cheguei à conclusão que apenas uso um produto por vaidade. O perfume. Os restantes uso por necessidade mesmo. São eles:
 
 
 
 
2. Definir as características dos produtos que uso. Depois de criar a lista de produtos que suprem as minhas necessidades defini as características exatas que cada um deles deve possuir para que funcionem comigo. Todas têm em consideração o meu tipo de pele e cabelo.
 
 
 
 
 
 
3. Analisar os produtos que tenho. Após definir criteriosamente quais as características a privilegiar em cada produto. Analisei quais os produtos que preenchiam os requisitos. Sendo que os que não preenchem totalmente os requisitos são os primeiros a serem gastos a fim de não voltarem a fazer parte da minha rotina. A não ser que que surja uma real necessidade. Eis os produtos que estão "parados" há meses no armário do wc. E as (muitas!) amostras que, volta e meia, se recebem...
 
 
4. Investir de forma consciente. No momento em que se mostrar imperativo adquirir um novo produto o objetivo é investir em produtos com a melhor qualidade que o meu orçamento possa pagar. E sempre que o orçamento for limitado terei que estabelecer prioridades:
  • Optar por produtos que correspondam 100% aos requisitos pré-estabelecidos.
  • Optar por produtos que realmente necessite.
 
5. Reduzir efetivamente a quantidade de produtos.  Até aqui, o objetivo foi otimizar a minha rotina de beleza, sendo que pouco fiz para realmente reduzir a quantidade de produtos que dela fazem parte. Isto porque o objetivo é criar uma rotina de beleza funcional que terá um maior impacto na minha rotina diária. Ao invés de somente ambicionar conseguir usar poucos produtos de beleza. Outro motivo porque é importante começar por criar uma rotina funcional antes de reduzir a quantidade de produtos que uso é porque torna o processo muito mais simples. Após estabelecer a rotina terei uma maior confiança para me livrar do que está a mais.
 
Como qualquer desafio a que me proponha. Este não será fácil. Nada fácil. Mas apesar de ainda agora ter começado. Já me está a dar um gozo tremendo.
E por aí, mantêm uma rotina de beleza simples e funcional?
Ou também há mudanças que queiram fazer?
Aceitam o meu desafio? ;)

janeiro 20, 2017

Consumo | Como decidir o que comprar quando o orçamento é reduzido

 
 
 
A decisão de criar um bom guarda-roupa prende-se com a vontade de apenas ter no armário peças com as quais se identifique e que sejam um reflexo do seu estilo pessoal e personalidade. No entanto, nem sempre o orçamento permite fazer tal investimento. Uma boa estratégia para contornar essa situação é criar um coordenado que reúna peças que  tenham um grande impacto na sua imagem e que consiga conjugar com as restantes peças do seu guarda-roupa. Escolha criteriosamente cada peça. Cada uma deverá aumentar a sua confiança no seu estilo pessoal, ao mesmo tempo que lhe permitirá ganhar tempo para criar um bom orçamento a fim de incrementar o seu guarda-roupa de forma duradoura.
Eis algumas dicas que a podem ajudar:
 
1. Analisar o seu estilo de vida.
  • Faça uma lista das suas atividades diárias (trabalho, ginásio, lazer...).
  • Analise a sua agenda de forma a  perceber  a frequência com que recorre a determinado coordenado.
2. Esboce o seu guarda-roupa ideal. As peças em que vai investir numa primeira instância fazem parte de um todo para o qual está a trabalhar: o seu guarda-roupa ideal.
 
3. Escolha peças versáteis que acrescentem valor à sua imagem.
  • Opte por peças que personifiquem o seu objetivo final.
  • Opte por peças que lhe transmitam confiança para desempenhar as tarefas mais difíceis do seu dia-a-dia.
  • Opte por peças que possam ser conjugadas de diferentes formas num curto período de tempo de forma a mostrar a sua versatilidade.
  • Opte por peças nem muito básicas nem muito tendência. As peças muito básicas nem sempre causam impacto suficiente e as peças tendência nem sempre permitem mostrar versatilidade.
4. Procure a melhor qualidade que o seu orçamento permite pagar.
  • Lembre-se que, nem sempre, o preço é indicativo de qualidade ou falta dela. Logo, é importante compreender as diferentes caracterísitcas de cada peça (material, corte...)
  • Se procura peças simples e sem grande estrutura, uma boa opção será procurar em lojas Outlet das suas marcas favoritas. O mesmo se aplica a peças que à partida pedem um maior investimento.
5. Continue a incrementar o seu guarda-roupa ao seu ritmo. O mais difícil já está feito: começar. Agora é continuar a trabalhar até chegar ao resultado que pretende. A periodicidade com que fará novas aquisições não é o mais importante. O mais importante é que apenas acrescente peças de boa durabilidade e qualidade.

Valorização Pessoal | 3 Dicas para se manter motivada durante o processo de desenvolvimento pessoal

O desenvolvimento pessoal e a aprendizagem são fundamentais para viver em pleno o seu dia-a-dia. Permitem-nos relaxar, abrir horizontes e sair da nossa zona de conforto. E são algumas as práticas que nos permitem manter motivadas durante este processo de aprendizagem:
 
1. Não se obrigue a aprender algo que não a entusiasme. O aspeto mais importante para uma boa aprendizagem é escolher aprender algo que a entusiasme. Não vale, de todo, a pena dedicar qualquer esforço para aprender algo que não lhe interesse particularmente. O seu tempo e energia são limitados, logo deve certificar-se que os investe em aprendizagens  que lhe acrescentem valor e a entusiasmem.
Há muito que tenho vindo a trabalhar para me tornar uma melhor pessoa. Não pretendo ser perfeita. Somente quero mudar/melhorar algumas características que não gosto particularmente em mim. E, querendo ou não, é tudo uma questão de aprendizagem. Aprender a pensar em mim primeiro. Aprender a não me preocupar com o que os outros pensam e dizem. Aprender a valorizar realmente as pequenas coisas. Aprender a praticar a gratidão diariamente. E confesso que são mudanças que me entusiasmam de tal forma que acredito que só por isso a aprendizagem será um processo bastante recompensador.
 
2. Qualquer momento conta. Se o seu horário é muito apertado, a verdade é que nem sempre é o tempo que conta, mas a dedicação com que decide aprender algo. Logo, não deve deixar o seu horário apertado impedi-la de aprender algo. Se tem real vontade de o fazer, o tempo não será desculpa. O truque é usar cada momento que dedica à aprendizagem o melhor possível. Dedique-lhe a atenção, esforço e energia necessários para que cada aprendizagem seja bem sucedida.
Há muito que tenho vindo a esforçar-me por mudar a minha mentalidade relativamente a diversos aspetos. E, a verdade, é que tem sido um processo longo e difícil. Porque não é fácil mudar a mentalidade. Porque volta e meia existem contratempos que nos levam a ter que parar e, por vezes, dar um passo atrás para poder avançar. No entanto, se pensar racionalmente sobre isso. A verdade é que não me tenho esforçado realmente para que essa aprendizagem/mudança aconteça. A decisão de aderir ao minimalismo trouxe-me essa realização. Identifico-me bastante com as suas premissas. Como nunca me identifiquei com qualquer outra corrente de pensamento. E, se ao inicio me dedicava a colocar em prática tudo o que ia aprendendo. Com o tempo fui procrastinando e fui-me convencendo que não tinha tempo para "perder" com essa mudança. Não poderia estar mais enganada. E se quero realmente aderir a esta corrente tenho que aproveitar cada momento livre para fazer algo que me leve onde pretendo. Foi essa mudança que introduzi na minha rotina diária esta semana. O primeiro passo é reler os livros e a informação que me levaram a querer aderir a esta corrente. Em seguida só tenho que me disciplinar para diariamente fazer algo para que essa mudança realmente aconteça. Até chegar onde pretendo.
 
3. Tenha um propósito. Mesmo que a aprendizagem a que se está a dedicar no momento seja apenas por diversão é importante ter um propósito em mente. Uma finalidade para a qual está a passar por essa aprendizagem. Ter um propósito para qualquer aprendizagem deve ajudá-la a manter-se motivada ao longo do processo.
O meu propósito em mudar de mentalidade e aderir ao minimalismo é viver uma vida com mais intenção. Para tal, tenho que me aceitar realmente como sou. Livrar-me do que e quem não me acrescenta valor. É difícil. São muitas as emoções com que se tem de lidar. São muitas as decisões a tomar. E, mais uma vez, pensando racionalmente sobre isso. A verdade é que não tenho sido real, honesta e sincera comigo mesmo. Continuo a colocar os outros em primeiro lugar. E a preocupar-me com o que pensam e dizem sobre mim. Continuo a ter demasiado, apesar de já não ter assim tanta coisa. Continuo a não encontrar alegria em tudo o que me rodeia. E é precisamente nisso que preciso trabalhar. É mesmo um processo longo e duro. Exige muita força de vontade. Se bem que, se parar para pensar no propósito desta aprendizagem. Vale a pena. Vale muito a pena. E se amanhã quero ser melhor. O dia de hoje conta. É só primeiro dia...